3 revelações sobre o acordo social no México

O chefe da delegação do plataforma unitária para a negociação, Gerardo Blyde, tornou públicos novos detalhes sobre o acordo social assinado com o governo de Nicolás Maduro em 26 de novembro.

O político deu sua versão de por que até agora não foi implementado e deu mais detalhes sobre os avanços e retrocessos relacionados ao Fundo de investimento quem vai administrar o Nações Unidas (UN).

Onde está o dinheiro

Blyde listou alguns países onde identificaram fundos da República que podem ser usados ​​para financiar o assentamento social. Esses são: Portugal, Reino Unido, Estados Unidos, França e Japão. Até agora, sabíamos apenas que havia recursos nos três primeiros países.

O negociador esclareceu que “há muito mais” países sobre os quais “o regime de Maduro sabe melhor”. Ele observou que alguns recursos “não são líquidos, mas são exigíveis”.

O principal negociador da Plataforma Unitária falou sobre a situação do acordo social.

obstáculos

A oposição continua a tomar medidas para proteger os fundos de credores estrangeiros Eles podem tomar medidas legais para cobrar dívidas não pagas.

Sobre o assunto, o Líder da Oposição declarou: “Tem se falado muito sobre a puniçõesMas se esses fundos não existissem, também não existiriam porque a revolução criou uma dívida imensa para com a República. Não só comeram as receitas do petróleo, como também nos endividaram, todos estes credores estão por todo o mundo à procura de onde recuperar”.

“A proteção desses ativos, líquidos ou não, era justamente as sanções, ou seja, o reverso das sanções. Você tem que trabalhar para entrada segura esses fundos e que eles cheguem às áreas que precisam chegar. Muitos desses credores têm direito de cobrança, teremos que negociar com eles”, acrescentou.

Em seguida, destacou que a delegação não atendeu os credores. “O importante é que lemos a comunicação de um grupo de obrigacionistas, não nos dá total segurança, é um grupo pequeno, mas achamos muito bom que se tenham apresentado e espero que todos apareçam como que.”

Segundo a Reuters, a Venezuela deve mais de $ 60 trilhões aos credores pelas nacionalizações de empresas realizadas há uma década sob o então presidente Hugo Chávezbem como os títulos inadimplentes do país e da estatal petrolífera PDVSA.

Blyde também deu a entender que Foi o governo Maduro que não quis cooperar na identificação dos recursos depositados em outros países e a criação do fundo fiduciário: “Eles têm mais informações sobre esses fundos do que esta delegação pode obter e sabem exatamente quais problemas temos que resolver.”

Ele exortou o chavismo a retomar a negociação e trabalhar para que o acordo social seja executado: “Há documentos que devem ser assinados com a ONU e é necessária a outra parte, os dois projetos estão prontos, certos detalhes técnicos precisam ser refinados. poder seguir em frente”.

progresso

Segundo o membro da Plataforma Unitária, as delegações do chavismo e da oposição avançaram na nomeação dos membros da Conselho Nacional de Assistência Social e o Grupo Especial de Atenção aos Efeitos do Excesso de Cumprimento.

A comissão de controlo e verificação é o único órgão que falta instituir. No entanto, afirmou que a oposição já tem os responsáveis, mas deve informar a Noruega.

Ele preferiu não revelar a identidade dos representantes desses órgãos subsidiários porque indicou que correspondem ao Reino da Noruega.

Também deve ser indicada a comissão técnica que será responsável por fazer as ofertas e contratos para o acordo social.

O negociador-chefe anunciou que em breve se reunirá com o Alto Comissário para os Direitos HumanosVolker Türk, para enfrentar a instrumentalização do acordo social.

Sobre o processo de negociação, ele destacou que os países amigos continuam sendo uma “dívida” das partes: “A dificuldade é que tem havido muitos países que querem estar neste grupo e nós não temos. Os noruegueses estão procurando uma alternativa fórmula para ver como podemos resolver este problema.”

Alex Gouveia

"Estudioso devoto da internet. Geek profissional de álcool. Entusiasta de cerveja. Guru da cultura pop. Especialista em TV. Viciado em mídia social irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *