Ademar 32 – Valladolid 34: “Pés no chão e muito a melhorar”

Dois jogos em menos de 24 horas é sempre uma circunstância difícil de gerir, embora a carga habitualmente procurada na pré-época obrigue a gerir estas situações, procurando pelo menos alguma regularidade. o Abanca Ademardepois de empatar contra um time que aspira a tudo na Europa como Sporting de Portugal deixando grandes sensações em sua estreia na pré-temporada, foi derrotado pelo Atlético Valladolid dentro Valência de Don Juan em uma partida onde, principalmente na defesa, a equipe leonesa foi diferente.

Um alerta para continuar trabalhando nas semanas que faltam até o início da temporada, embora o resultado ainda seja anedótico, já que o triunfo do Valladolid se baseou simplesmente em cometer menos erros no ataque do que um Ademar terrivelmente perdido em chutes limpos de um gol que esta ocasião faltou um reforço após a saída de boma estrela.

Porque nem Honradoquem era o dono, não um Papantonopoulos que saiu frente ao Sporting e que mal teve sucesso em poucos minutos da reta final do jogo desta vez, soube salvar o escrutínio de uma defesa que também baixou a sua intensidade em relação ao sábado, certamente pelo cansaço gerado por esse desperdício de energia observado em Bembibre.

Ademar perdeu 7 gols, mas reagiu e ainda conseguiu ir para 1 na reta final da partidaPelo contrário, o Ademar estava na frente, com um César Pérez extremamente bem sucedido e cujo sucesso Valladolid cimentou as vantagens iniciais. O Ademar ainda estava a reboque, muito imprudente no ataque. A exceção foi nos canhotos, onde David Fernandaassinou seu primeiro grande jogo em León marcando 8 gols, provando ser um líder para a equipe e já mostrando uma excelente conexão com seus companheiros de equipe, especialmente com um Zanas Virbauskas com o qual finalizou 3 confrontos sensacionais. O outro, Kim, acaba por continuar a crescer tanto lateralmente como no final. Ambos, acompanhados de um madeira que desempenhou o papel de “desbloqueador” em um ataque posicional pouco fluido e um Tiago Sousa que mostrou não só ter vindo defender, mas ser um revezamento de garantias no ataque, foram as melhores notícias deixadas pela equipe leonesa, que foi condenada por esta defesa e suas imprecisões.

Perez, Nico Garcia e Lamariano, que dividiu os minutos, deu mais atuações nas traves e com as derrotas, a vantagem do Valladolid chegou a 7 gols quando o jogo recomeçou no segundo tempo. No entanto, a equipe leonesa também mostrou sua garra no segundo tempo (durante o qual nem Milosavljevic nenhum Castro participou) para levar a partida até o fim. No meio de uma partida mais uma vez sem sucesso para os árbitros, Darío Sanz fez um contra-ataque para colocar seu time dentro do gol a 2 minutos do final, ainda que seu chute tenha batido na cara do exportador Ademarista, custando-lhe não só a oportunidade perdida para pelo menos lutar pelo empate, mas uma exclusão que deixou a partida vista para condenação. Por fim, uma derrota por dois golos para o deleite dos adeptos de Pucelano presentes num pavilhão de Vicente López onde não havia lugar livre.

O próximo teste para os leoneses acontece ainda esta semana com o Al Ahly de Dani Gordo, que se desloca a Viseu este fim-de-semana para defrontar ninguém menos que Porto e Benfica.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.