África terá a maioria dos falantes de português até o final do século

Com quase 210 milhões de habitantes e a maior população entre os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o Brasil é o país com maior número de falantes da língua, bem à frente. Atualmente, mais de 80% dos falantes de português no mundo são brasileiros.

“No entanto, a partir de 2050, esta realidade começará a mudar, e o crescimento populacional de Angola e Moçambique, somado à redução da população no Brasil, empurrará o pêndulo da língua portuguesa para o continente africano”. A afirmação é do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, para quem a maioria dos falantes de português estará em África até ao final deste século.

Plasticidade e dinamismo

“Quando olho os números e os mapas, o que vejo é isso: existem atualmente mais de 250 milhões de falantes de português como primeira ou segunda língua no mundo. Quatro quintos são brasileiros. E quando olho para o futuro, ao longo deste século, o que vai acontecer? O número de falantes chegará a 500 milhões e a maioria será de africanos”, diz Santos Silva.

O ministro português chama a atenção para a grande plasticidade da língua, que “começou a ser europeia, a língua de Camões. Então ela se tornou brasileira. A língua portuguesa de hoje é antes de tudo uma língua brasileira. É a linguagem de Chico Buarque ou Clarice Lispector. E ao longo deste século, tornar-se-á uma língua africana. Língua de angolanos, moçambicanos, língua de Mia Couto, língua de Luandino Vieira ou Pepetela. É uma linguagem extremamente dinâmica.

Crescimento

Em recente entrevista na ONU em Nova York, Santos Silva expressou otimismo com a expansão da língua lusitana. “A Unesco diz que é uma das três línguas do mundo que mais vai crescer e está crescendo mais. Isso nos dá uma grande responsabilidade”, disse.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), composta por Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor oriental, merece especial menção na preservação e divulgação do Língua. Seis dos nove membros da CPLP são países africanos.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros brasileiro, Ernesto Araújo, “do acordo político-diplomático, a cooperação em todas as áreas e a promoção e divulgação da língua portuguesa, que são os pilares da CPLP, decorrem da cooperação concreta e de iniciativas de apoio . .no caso de crise e estreita coordenação dos nove países em fóruns multilaterais”.

Instituto Guimarães Rosa

No espírito de divulgação da língua, Araújo anunciou recentemente o lançamento de um Instituto Brasileiro para o Ensino do Português, alinhado com o Instituto Camões de Portugal. Batizada de Instituto Guimarães Rosa, a nova instituição homenageia o grande escritor e diplomata brasileiro.

“Estamos criando um novo instituto de promoção da cultura brasileira no exterior, que permitirá uma presença mais estruturada do Brasil no campo da cooperação cultural, e onde o destaque será nossa cooperação com a África”, disse Araújo em discurso. em Brasília, em maio, durante as comemorações do Dia da África.

A iniciativa brasileira foi saudada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros português Santos Silva, para quem o novo instituto “vai dar mais, digamos, artilharia, no bom sentido do termo, à promoção internacional da língua portuguesa”.

Além disso, o ministro português deu três exemplos recentes da expansão da língua portuguesa no mundo. “Primeiro, o sucesso este ano de iniciar cursos de português na Escola de Línguas das Nações Unidas com patrocínio luso-brasileiro. Em segundo lugar, o facto de em Outubro ser anunciada em Londres a primeira escola bilingue em português e inglês. Terceiro, um protocolo que assinamos com a Universidade de Sevilha, Espanha, para o ensino da língua portuguesa, e que já conta com 130 inscrições.

diásporas de língua portuguesa

Falado no Brasil, Portugal, Timor Leste e seis países africanos, o português ainda tem milhões de falantes nos Estados Unidos, França e África do Sul, países que concentram grandes diásporas lusófonas.

Segundo o Instituto Camões e o Instituto Português do Oriente, o interesse pela aprendizagem da língua tem aumentado na China, sobretudo na Região Administrativa Especial de Macau.

Isto deve-se às relações comerciais da China com o Fórum de Macau, uma plataforma de cooperação económica com os países de língua portuguesa, fundada em 2003.

Origens e expansão da língua

O português é derivado do latim e está intimamente relacionado ao espanhol moderno. O seu nome vem de “Portugal”, cuja denominação por sua vez vem do Porto, a segunda maior cidade do país.

Os falantes de português são chamados de lusófonos. Esta palavra vem de “Lusitânia”, o nome romano para a região que hoje é Portugal. A língua portuguesa pertence à família das línguas românicas, um sub-ramo das línguas indo-europeias. O português está relacionado com o francês, o espanhol, o italiano e o romeno.

A difusão internacional da língua portuguesa deu-se a partir do século XV, com a expansão marítima do império português, que já se estendia da América do Sul ao Sudeste Asiático, passando por África e Índia. Hoje, o português é língua oficial em nove países e no território chinês de Macau.

Embora os rankings internacionais sejam diferentes, o português está agora entre as 10 línguas mais faladas no mundo, variando do sexto ao nono, dependendo da abordagem adotada.

*Com informações da ONU News

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *