Agora você pode visitar em Caleta de Vélez a margem dos mares circulares da Coca-Cola feita a partir de resíduos marinhos

Mares Circulares, o projeto mais ambicioso da Coca-Cola para despoluir as costas e os fundos marinhos, sensibilizar e desenvolver a economia circular em Espanha e Portugal, entrega em Caleta de Vélez (Málaga) a um dos 15 bancos que, juntamente com a Asociación Vertidos Cero, fabricar com plástico 100% reciclado, do qual pelo menos 30% provém de lixo marinho recolhido pelos mais de 500 pescadores de 104 barcos e 15 portos participantes do projeto. Um exemplo de economia circular graças ao compromisso da Mares Circulares com a inovação científica.

A instalação da bancada Coca-Cola Circular Seas, em Caleta de Vélez (Málaga), é um gesto de agradecimento aos pescadores, que têm desempenhado um papel fundamental ao participar como voluntários na recolha e transporte do lixo marinho que aderiu às redes de seus barcos ou encontrados boiando no mar.

A apresentação contou com a presença da delegada do governo da Junta de Andaluzia em Málaga (Patricia Navarro Pérez), a patrona da Associação de Pescadores de Caleta de Vélez (María del Carmen Navas); Delegado Territorial para o Desenvolvimento Sustentável, Ambiente e Economia Azul (José Antonio Víquez Ruiz); Vice-prefeito de Caleta de Vélez (David Segura); Gerente de Área Agência Pública Portos Oeste de Málaga da Andaluzia (Diego Hens Atienza); Representante da Associação Vertidos Cero em Mares Circulares (Patricio Peñalver); e Chefe de Comunicação, Assuntos Públicos e Sustentabilidade da Região Sudeste da Coca-Cola Europacific Partners (Alejandro García Alonso).

Circular Sea Bank da Coca-Cola.

“Com este projeto, a Coca-Cola redobra seu compromisso com a pesquisa e inovação para encontrar soluções para o problema do lixo marinho”, afirma Alejandro García. “O desenvolvimento desta bancada representa um avanço na inovação aplicada à economia circular que caracteriza a Mares Circulares. Um passo que se soma ao feito já alcançado em edições anteriores de reaproveitamento do plástico PET, que recuperamos durante a limpeza dos ambientes aquáticos, na produção da primeira garrafa com 25% de PET marinho próprio para uso alimentar”, explica.

15 bancos 15 portas

O objetivo é instalar quinze bancos nos quinze portos membros do programa Coca-Cola Circular Seas como agradecimento aos pescadores de cada um dos portos que colaboram com o Circular Seas. Além de Punta del Moral (Ayamonte), agora você pode visitar as margens de Andratx (Maiorca), Gijón, Llanes (Astúrias) e Isla Cristina (Huelva). Em breve será possível visitar as margens de Muros (La Coruña), Santa Uxía de Ribeira (La Coruña), Bueu (Pontevedra), Isla Cristina (Huelva), Punta Umbría (Huelva), Marbella (Málaga), Caleta de Vélez (Málaga), Porto de Almería (Almería), Garrucha (Almería), Puerto de la Restinga (Ilha de El Hierro, Santa Cruz de Tenerife) e Santoña (Cantabria).

Cada um destes bancos tem um comprimento máximo de dois metros e 67 centímetros e uma largura de 45 centímetros. A sua cor é o azul esverdeado, reflexo dos desperdícios do mar, a sua forma evoca as ondas do oceano.

5.200 kg de lixo marinho recolhidos dos mares

A Circular Seas conseguiu agora dar uma segunda vida a plásticos não PET, como restos de redes, armadilhas, sacos ou películas altamente degradadas e mistas encontradas nos nossos mares e oceanos, que devem ser recicladas. A sua reutilização é agora possível graças a uma tecnologia pioneira promovida em colaboração com a Asociación Vertidos Cero, AIMPLAS, (Instituto Tecnológico de Plásticos de Valência) e Plàstic Preciós, ONG especialista em sensibilizar para a economia circular e a reciclagem de plásticos; como parte deste projeto.

Para constituir estes bancos, já foram processados, este ano, cerca de 5.200 quilos de lixo marinho recuperado no mar. “Esse material foi obtido graças ao esforço dos pescadores. São todos voluntários que se esforçam para separar os resíduos no barco, trazê-los para terra, descartá-los e garantir que esses resíduos sejam gerenciados adequadamente”, enfatiza Patricio Peñalver, representante do projeto da Associação Aterro Zero. .

Para o processo de fabricação das bancadas, a AIMPLAS recebe a mistura de plásticos dos portos, embala e tritura, fase em que é transmitida para a ONG Plàstic Preciós, que a transforma em chapas e fabrica uma bancada contendo 30% de material marinho plástico, cerca de 13,5 quilos. Esse procedimento facilita o rastreamento da rastreabilidade do material utilizado em sua fabricação graças a um código QR integrado ao próprio banco.

Os mares circulares em números

Circular Seas é uma iniciativa promovida pela Coca-Cola em Espanha e Portugal, cofinanciada pela Fundação Coca-Cola, que trabalha em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e em particular o ODS 12 – produção e consumo responsáveis, ODS 13 – ação Climática; ODS 14 – vida subaquática – e ODS 17 – geração de alianças para o desenvolvimento sustentável – Neste sentido, conta com a colaboração da já referida Associação Descarga Zero, bem como da Chelonia, da Fundação Ecomar e da Liga para a Proteção da Natureza (LPN ). Beneficia ainda do apoio da Secretaria-Geral das Pescas do Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação. O Circular Seas teve início em 2018 e a nível global contou com a ajuda de 30.000 voluntários que já integraram o programa e com a colaboração de mais de 1.100 câmaras municipais, entidades públicas e privadas que têm apoiado iniciativas desenvolvidas em diferentes municípios. Além disso, foram realizadas atividades de formação e sensibilização com mais de 70.000 pessoas durante sessões de sensibilização, 12 estudos científicos e quatro iniciantes.

Filomena Varela

"Desbravador do bacon. Geek da cultura pop. Ninja do álcool em geral. Defensor certificado da web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *