Áudio revela suposta oferta de programas sociais por filiação política

Está circulando nas redes sociais um áudio em que um suposto gestor municipal de Villa Nueva pede a um vizinho que se filie a um partido político. Foto: Hora/Captura de tela

Está circulando nas redes sociais um áudio em que um suposto funcionário municipal de Villa Nueva pede a um vizinho que se filie a um partido político, em meio a uma conversa em que abordam o atraso na entrega de programas sociais por parte do Ministério do Desenvolvimento (Você a medida ).

O prefeito de Villa Nueva, Javier Gramajo, que provavelmente buscará a reeleição pelo partido VAMOS, desvinculou-se do fato e garantiu que a pessoa ouvida na gravação não é funcionário municipal.

O QUE SE OUVE NO ÁUDIO

No áudio, ouve-se: “Olá Dona Ana. Repare que não, não é para o cartão, é um saco que pedimos para os Mides, mas a senhora não está aí porque, como sabe, respeitamos a decisão de todos. Não te dei convites políticos e você não pôde participar, então respeitei essa parte com você, é verdade que não levei em consideração pelo mesmo motivo, mas quem vier para sinal são porque eles se juntam a um.

Acrescenta “e se vão buscar ajuda, mas é outra forma de ajuda, é aí que damos os sacos, é de Mides. Agora, sobre o que você ganha com cartão, não enviei mensagem porque ainda não me disseram que está um pouco atrasado no sistema, eles dizem que ainda não enviaram o depósito, mas quando me avisarem, eu aviso você , não tenha vergonha. Agora, se você quiser se juntar a nós, ficarei feliz em vê-lo aqui, você deve trazer sua cópia do DPI”.

OFERTA DE RETIRADA DE GRAMAJO

La Hora entrou em contato com Gramajo, que garantiu que a pessoa que fala no áudio não pertence ao município de Villa Nueva e que não a conhece.

“É para ser um vídeo, e ela não é funcionária municipal, a senhora não é gestora e eu também não a conheço. Então ele não tem ligação com o município”, disse Gramajo.

Esta redação também perguntou se ele se candidataria novamente pelo partido VAMOS, ao que ele indicou: “Por enquanto não fui indicado pelo partido Vamos, estamos nesse processo, mas não. Trabalhamos com eles, claro, mas não fui nomeado, isso nas últimas semanas do ano será essa parte da nomeação”.

SEM RESPOSTA

Diante do fato relatado, o secretário-geral do partido VAMOS, Víctor Valenzuela, também foi consultado para se pronunciar sobre áudio, mas não houve resposta.

TSE NÃO PRONUNCIA NEM

Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi consultado sobre a quantidade de denúncias sobre a suposta campanha antecipatória do VAMOS e se recebeu alguma específica envolvendo os programas sociais do Mides.

No entanto, não foi possível obter uma resposta após esta nota. Após o recebimento, será registrado.

A PRESIDÊNCIA ENVIA AO MIDE

O La Hora também consultou a secretaria de comunicação social da presidência, mas encaminhou as questões ao Ministério do Desenvolvimento Social, órgão que também não se pronunciou. Se obtido, será atualizado neste espaço.

RECURSOS DA MIDE EM RECLAMAÇÃO

O Ministério do Desenvolvimento Social (Mides) por meio de comunicado esclareceu que os programas da referida instituição são totalmente gratuitos e que não é necessária a filiação a partidos políticos.

“Nenhum dos procedimentos de solicitação de ingresso de novos usuários, renúncia de documentos, cumprimento de responsabilidades conjuntas, treinamento, renúncia de benefícios ou desligamento do programa; não exige qualquer tipo de contribuição econômica, física ou profissional, nem filiação a partidos políticos. O custo é ZERO”.

Além disso, ele expressou na declaração que os apelos ao Mides devem ser oficialmente e publicamente “não em voz baixa”, os funcionários do Mides são os únicos autorizados a realizar programas sociais e eles, dizem- eles são identificados e trabalham em instalações formais , não na rua.

Por fim, lançaram um apelo para denunciar aqueles que tentam enganar os beneficiários de seus programas ou aqueles que procuram atuar como usuários, por meio dos telefones 2300-5400 ou 1512, bem como relatar informações com urgência.

É E VAI

Em 8 de novembro, o TSE notificou a VAMOS sobre a possível implementação de uma campanha antecipada, que menciona três postagens nas redes sociais e plataformas de Internet da organização: Facebook, Instagram, Twitter e Tik Tok.

No entanto, isso não indica que se trate da atividade do “Chefe dos Patrões” da qual participou o desaparecido ex-chefe do Centro de Governo, Miguel Martínez, ocorrido há mais de 130 dias.

O Tribunal não especificou se está em curso uma investigação ou se será pronunciada uma sanção contra o ex-funcionário, bem como contra o grupo.

Alex Gouveia

"Estudioso devoto da internet. Geek profissional de álcool. Entusiasta de cerveja. Guru da cultura pop. Especialista em TV. Viciado em mídia social irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *