Benfica vence o Peñarol por 1-0 e conquista a primeira Taça Intercontinental Sub-20

Luis Semedo entrou no segundo tempo e aos 70 minutos marcou o único gol do jogo para o português.

O Benfica conquistou a primeira Taça Intercontinental Sub-20 para clubes no domingo ao bater o Peñarol por 1-0 no estádio Centenário.

Os jovens uruguaios não conseguiram repetir a façanha de seus mais velhos seis décadas atrás, quando esses mesmos clubes disputaram a segunda Copa Intercontinental da história em 1961.

Peñarol já havia jogado (e perdido) o primeiro contra o Real Madrid, em 1960, mas desta vez vingou-se ao bater o grande Benfica de Eusébio (0-1 em Portugal, 5-0 desforra em Montevidéu e 2-1 no encontro decisivo, também no Centenário).

Desta vez, a final foi entre equipes sub 20 que haviam vencido as últimas edições da Copa Libertadores e da UEFA Youth League. Nunca antes uma partida dessas características foi disputada em nível juvenil.

O cenário era espetacular: um Estádio Centenário intocado, povoado por quase 50.000 pessoas e repleto de bandeiras douradas e pretas.

O primeiro tempo foi igual, com o Benfica no domínio territorial, mas um Peñarol muito mais ofensivo: de fato, as únicas jogadas de gol foram feitas pelos atacantes uruguaios.

O mais claro foi aos 14 minutos o rápido ponta-de-lança Máximo Alonso, que acabou por se revelar o melhor jogador destes primeiros 45 minutos com o seu companheiro de ataque Nicolás Rossi. No Benfica, destacaram-se o defesa francês Lenny Lacroix e o avançado João Neves.

Distração e derrota

A segunda parte começou de forma semelhante à primeira, com os portugueses a dominarem o campo, mas mostrando uma maior disposição ofensiva.

Aos 62, um chute de Neves roçou o travessão.

Na resposta, Peñarol apareceu pela primeira vez com uma excelente jogada individual do centroavante Oscar Cruz que terminou com escanteio. Dois minutos depois, Alonso perdeu uma grande oportunidade de marcar contra o corpulento guarda-redes português Samuel Soares.

Aos 70, ocorreu o único erro grave – e fatal – na defesa da aurinegra. O estreante Luis Semedo mandou a bola para a rede após um canto mal defendido.

A partir daí, o Peñarol foi um turbilhão, aplaudido de forma ensurdecedora pelos seus adeptos, mas voltou a defrontar o guarda-redes Soares e uma defesa portuguesa bem posicionada.

O jogo foi tenso, com repetidas faltas dos médios do Benfica a interromper as tentativas do Peñarol de chegar ao empate, que nunca chegaram e o primeiro Intercontinental Sub-20 ficou nas mãos do gigante português.

AFP


Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.