Bolsonarista que destruiu relógio de Dom João VI é preso

Antonio Cláudio Alves Ferreira, integrante de Bolsonaro apontado como responsável pela destruição do relógio de Dom João VI, foi preso nesta segunda feira (23). UMA Policia Federal (PF) de Goiás o deteve na cidade de Uberlândia, Minas Gerais.

A relíquia era do século 17, feita por cabeleireiras francesas Balthazar Martinot Relojoeiro do Rei Luís XIV., presenteado ao então rei de Portugal pela corte de França. O crime ocorreu durante a invasão de propriedades dos Três Poderes no dia 8 de janeiro, em Brasília.

Antônio, de 30 anos, foi identificado no dia 21 de janeiro, ou seja, o que aconteceu quando a polícia civil descobriu um carro registrado em nome de um vândalo. Em comparação com o banco de dados e as imagens das câmeras de segurança, o veículo foi identificado em Brasília no dia das invasões.

O morador de Catalão foi visto dirigindo de volta à cidade na madrugada do dia 9 de janeiro, tendo sido visto horas antes de deixar a capital federal. O veículo não circulou na cidade nos sete dias seguintes, só voltando a ser visto nos dias 16 ou 18, quando não foi mais visto.

Antônio Carlos enfrentou apenas três processos criminais na Justiça.

O bolsonarista não resistiu à prisão pela invasão e destruição do relógio nesta segunda e, segundo informações prestadas à TV Globo, deve ser levado para a sede da PF em Uberlândia, após o que deve seguir em Brasília.

Siga pessoas, não o Google Notícias

Alex Gouveia

"Estudioso devoto da internet. Geek profissional de álcool. Entusiasta de cerveja. Guru da cultura pop. Especialista em TV. Viciado em mídia social irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *