Chaves para educar sobre segurança cibernética desde a infância

Está chegando o Dia da Educação Tecnológica, data que ao longo do tempo se tornou um dia importante no setor de educação. É cada vez mais comum ver a tecnologia nas dependências das escolas e institutos, com computadores, lousas interativas e projetores ou outras facetas mais mecânicas como o envio e a coleta de trabalhos de casa que também já são realizados por meio de plataformas digitais.

Devido a essa democratização e expansão da tecnologia em todas as áreas e como resultado do crescimento das crianças em um mundo totalmente digitalizado, é muito importante gerenciar e aproveitar todas as tecnologias ao seu redor.

Atualmente, esse conhecimento será útil não apenas em áreas como engenharia, medicina ou arquitetura, mas também para bancos e seguradoras, instituições de ensino, construção e um longo etc. Dada a situação atual, em que há cada vez mais ataques cibernéticos e as chances de ser vítima de um deles Software de ponto de verificação compartilha o conhecimento de segurança cibernética que todos os alunos devem ter de acordo com sua idade:

• Cibersegurança no ensino fundamental: especialistas recomendam 10 anos como a idade ideal começar a abordar a questão da cibersegurança em sala de aula, desde que haja Programas Os recursos de segurança em vários dispositivos têm controle dos pais e são usados ​​sob a supervisão de um adulto. Nesse ponto, o conhecimento mais interessante que pode ser ensinado aos alunos foi sobre privacidade, uso responsável da Internet, configuração básica de segurança do dispositivo ou conteúdo em Assédio na internet.

• Conhecimento do ensino médio: nesta fase, você pode desenvolver e estudar as ameaças e perigos de cibersegurança mais comuns na Internet, como phishing e como identificá-lo, controle de conta, malware e ransomware e seus sinais. Assim, também é possível introduzir e aprofundar conceitos básicos como tachinhavulnerabilidade, para explorarou erros humanos e, nesta última seção, apresentar o que é, como funciona e como os cibercriminosos usam o que se chama de “engenharia social”.

• Pós-graduação: seja uma licenciatura ou um ciclo de PF, é nesta fase que o aluno se concentra na disciplina em que pretende especializar-se e na qual pretende desenvolver a sua vida profissional. Nesse caso, estudos como engenharia da computação, telecomunicações, especialização em cibersegurança ou ciclos no ramo de informática são aqueles que ampliarão o conhecimento para além do aprendido na escola. Não devemos esquecer que este mundo está em constante evolução e a uma velocidade muito mais rápida do que outras disciplinas, para que o treinamento não pare. Depois de completar estes estudos superiores sempre conhecimentos e virtudes podem ser expandidos com cursos ou mestradossim

“A educação em cibersegurança é cada vez mais importante porque não será útil apenas para as pessoas que trabalham no setor, mas também para a vida diária de qualquer pessoa, será crucial. Tudo está se tornando mais digitalizado e qualquer ação que tomarmos trará perigos tanto no nosso trabalho quanto na nossa vida privada”, explica Eusebio Nieva, Diretor Técnico da Checkpoint Software para Espanha e Portugal. As crianças de hoje são nativos da tecnologia, vamos dar a elas as ferramentas para se sentirem seguras em um ambiente em mudança em que passam a maior parte do dia.”

comentários0WhatsappFacebookFacebookTwitterTwitterLinkedInLinkedIn

Filomena Varela

"Desbravador do bacon. Geek da cultura pop. Ninja do álcool em geral. Defensor certificado da web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.