Cristiano Ronaldo e seu péssimo histórico com o Manchester United: por que ele começou mal a temporada da Premier League | RMMD DTCC | ESPORTE-TOTAL

Quando no ano passado o retorno de Cristiano Ronaldo no Manchester United mais de um ficou feliz com a notícia. O avançado deixou a Juventus para regressar ao clube que o viu brilhar pela primeira vez, onde é um ídolo e uma lenda. Hoje, esta história parece muito distante e o português já não é o jogador a que estávamos habituados.

VEJO: Haaland artilheiro contra. Substituindo Cristiano: o dérbi que marca a passagem do gol

No último semestre de 2021, Ronaldo chegou à seleção inglesa querendo mostrar que ainda estava em alto nível. Ele jogou 38 jogos entre a Premier League, FA Cup e Liga dos Campeões, com 24 gols e três assistências. Apesar de seus esforços, o United não teve a melhor sequência e acabou caindo nas posições da Liga Europa e sem a possibilidade de aspirar ao título nacional. Ole Gunnar Solskjaer ele deixaria a direção técnica e o clube entraria no limbo.

Depois de dois treinadores interinos, Erik Ten Hag Ele seria o escolhido para tirar os “vermelhos” da sequência de derrotas desta nova temporada. No entanto, o avançado português teria algumas dificuldades na adaptação ao novo treinador e às novas contratações o que afetaria o seu desempenho no jogo.

Ronaldo foi titular em um dos sete jogos da Premier League e hoje no derby de Manchester não entrou em campo. Esta é a primeira vez que o futebolista não entrou em jogo nem na segunda parte do jogo e não marcou golo. Quanto à Liga Europa, o português foi titular na primeira jornada e marcou um penalty na segunda jornada para a sua equipa.

Até agora, nesta temporada, ele jogou 378 minutos entre os dois torneiosuma queda notável em relação aos 3.191 minutos que jogou em 2021/22. A isto junta-se a última eliminação de Portugal da Liga Europa das Nações. Esta surpreendente atuação de Ronaldo a nível futebolístico é também fruto de um momento difícil que o jogador atravessa na sua vida pessoal.

Em maio deste ano, por meio de um comunicado em suas redes sociais, o atacante e sua companheira Georgina Rodríguez revelaram a sensível morte de seu filho gêmeo recém-nascido. Esta notícia chocante abalou o mundo dos esportes que simpatizava com a dor do casal.

Há poucos dias, o famoso psicólogo Jordan Peterson Comentou que foi contactado pelos portugueses para o ajudar a ultrapassar este triste momento tanto a nível pessoal como profissional. Aos 37 anos, Ronaldo aceitou que precisava de ajuda para seguir em frente e melhorar seu desempenho incomum. A 50 dias do Mundial, o português quer chegar na melhor forma possível para aquele que poderá ser o seu último Mundial.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *