critica os interesses comerciais de Bamberg

Ignacio Pará, Presidente da Fundação Bamberg; e Carlos Tomás, Presidente da Associação Portuguesa de Engenharia e Gestão da Saúde (Apegsaude).

o Associação Portuguesa de Engenheiros e Gestão em Saúde (Apegsaude), após anunciar neste domingo que estava deixando a Comissão Institucional do Fundação Bamberg, acusou-a novamente. Na ocasião, ele especificou que o principal motivo de sua saída foi o “interesses comerciais impróprios organização “.

“A Fundação Bamberg, a Bamberg Health e a Bamberg Capital Markets LLC atuam como uma única entidade. A Apegsaude não se reconhece nesta mistura entre o interesse público, que a fundação deve perseguir, e a interesse privado e lucrativo processado pela Bamberg Capital Markets, cujos beneficiários são desconhecidos”, disse Carlos Tomás, presidente da associação portuguesa, por escrita médica.

Na mesma linha, ele destaca que Mercados de Capitais de Bamberg são “desconhecidos em Portugal porque não têm actividade ou estrutura operacional neste país e apenas participam na Fundação através da Comissão Institucional”. No entanto, eles usaram nosso nome sem permissão para promover atos de interesse comercial” disse Thomaz.

Bamberg defende seu negócio

Por sua vez, Ignacio Para, presidente da Fundação Bamberg, explica a escrita médica o que Bamberg Capital Markets LLC é a empresa encarregada de organizar seus eventos, com uma linha especial dedicada a isso: Bamberg Health. “Assinamos um acordo de colaboração com esta empresa através da qual 20% dos lucros desta atividade são doados à fundação”, disse.

Na mesma linha, o Pará argumenta que uma fundação privada pode exercer atividades comerciais “desde que seja diferenciar renda e as despesas que provêm da actividade da fundação e as que dela não provêm.” A Fundação não busca nenhum lucro e se tiver vantagens, aplica-as à entidade para desenvolver um trabalho socialcomo fazemos há 18 anos”, completa.

No que respeita à relação com a Apegsaude, o presidente da Fundação Bamberg lamenta o fim desta colaboração que já dura uma década e sublinha que receberam “insultos e ameaças” e, portanto, decidiram retirá-los do Comitê Institucional. De hecho em um cartão dirigido a Bamberg, em maio, tem acesso a este periódico, expresaba: que hayan interpretou algún momento em ” Bamberg ha la Fund to la Fund, tom use el nome de A Lamentam que tomprove el nom de Apegsaude ni el de su presidente aprovecharse de seu relacionamentos em portugal. Demos-lhes a oportunidade de participar, em seu benefício, no novo evento que vamos organizar em Lisboa em Setembro, como já fizemos noutras ocasiões. Em nenhum momento foi essa a nossa intenção e lamentamos que me senti entediado“.

Aviso de demissão da Apegsaude

Embora esta disputa tenha começado há várias semanas, foi só no domingo passado que a Apegsaude emitiu um comunicado para anunciar o fim de seu relacionamento com a Fundação Bamberg. A associação publicou uma carta explicando que a fundação estava “abusando da imagem e prestígio da associação e os seus membros no sector da saúde português para fins comerciais e abusivos”. Por isso, a sua equipa jurídica está a investigar apresentar uma reclamação perante o Protetorado Único das Fundações da Concorrência Estaduais.

Além de deixar o Comitê Institucional e informar as autoridades sobre a situação, a associação fará o mesmo com todas as áreas de Bamberg, inclusive Conselho de Administração, Comitê Institucional, entidades de proteção, Conselho Científico, Conselho Consultivo e seu meio ambiente para determinar as possíveis “responsabilidades pessoais” desta ação.

“A fundação está subordinada a um sociedade comercial regido pelo direito americano, deixando assim de cumprir os nobres propósitos para os quais foi criado, bem como os critérios de independência e transparência que deve reger as organizações sem fins lucrativos”, concluiu a Apegsaude em seu comunicado de imprensa.

Embora possa conter declarações, dados ou notas de instituições ou profissionais de saúde, as informações da Redação Médica são editadas e elaboradas por jornalistas. Recomendamos que o leitor consulte um profissional de saúde com qualquer dúvida relacionada à saúde.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.