Descubra a vida generosa de Isabel de Portugal

Isabel de Portugal dedicou a sua vida à construção de edifícios e dedicou muitas horas e dinheiro a outros, sendo a mediadora dos conflitos do reino.

Algumas semanas atrás estávamos falando sobre “40 Ilustre de Aragão“, novo página da Internet quem preparou o Governo de Aragão. É um site online que comemora os 40 anos do estatuto de autonomia Aragoneses e, por isso, dedicaram quarenta Postagens às personalidades mais ilustres da nossa comunidade autónoma. Por esse motivo, vamos falar sobre cada um deles com base em suas informações. Hoje será a vez de Isabel de Portugal.

Foi no ano de 1271 quando nascido no Palácio Aljafería, local de residência dos reis cristãos. Seu pai, Pedro III de Aragão, viveu um reinado complicado com constantes conflitos com a França e com o papa, que o excomungou. Além disso, havia problemas internos com a nobreza aragonesa.

Após sua morte, em 1285, a jovem Elisabeth sobe ao trono. Após seu casamento arranjado com o rei Dionís I, ela foi rainha consorte de Portugal. Isabel de Portugal gastou muitas horas e fundos cuidando dos doentes, idosos e mendigos. Além disso, construiu conventos, escolas, orfanatos e hospitais. Como você pode ver, um coração bastante puro. Apesar das infidelidades de seu marido e dos muitos filhos perdidos que seu marido deixou para trás, deu à luz Constanza (futura Rainha de Castela) e Alfonso (futuro Rei de Portugal).

O problema disso é que Dionísio, seu pai, foi um excelente administrador do reino e viveu um período de calmaria. Os únicos problemas surgiram em seus últimos anos de vida, quando houve uma briga de sucessão entre Alfonso e um de seus bastardos. Isabel de Portugal mediou nestas disputas, chegando mesmo a ficar no meio do campo de batalha.

Após a morte de seu marido e a chegada de seu filho ao trono, decidiu fazer uma peregrinação a Santiago de Compostela. Mais tarde ele voltou e ingressou no convento de Santa Clara-a-Velha em Coimbra. Lá ele continuou a desempenhar um papel fundamental em sua caridade e ajudando os outros. já velho, morreu em 4 de julho de 1336.

Por curiosidade, podemos dizer que vários milagres foram atribuídos a ele após sua morte. Além disso, a Igreja a beatificou em 1526 e, um século depois, em 1625, o Papa Urbano VIII a canonizou.

CLIQUE AQUI PARA DESCOBRIR OS 40 ARAGÓN ILUSTRADOS

Imagem principal e informações retiradas do site de 40 ilustres Aragãos

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.