Duas novas estrelas Michelin para a Galiza: Ceibe, em Ourense e O Pazo, em Padrón recebem a distinção

A gala de entrega da estrela Michelin terminou ontem com boas notícias para a Galiza, que apresenta um firmamento mais luminoso. Por um lado, o restaurante Pepe Vieira (Poio), dirigido pelo chef Xosé Torres Cannas, conquistou o segundo prémio e juntou-se ao Culler de Pau, de Javier Olleros, em várias distinções. A comunidade acrescenta ainda duas novidades: a do restaurante Ceibe, de Xosé Magalhães e Lydia del Olmo (Ourense), e a de O Pazo, de Óscar Vidal (Padrón). Do primeiro, o guia destaca que “oferece a essência galega do sentimento e da ligação à terra” e o segundo é descrito como “templo galego da cozinha grelhada”.

Lydia del Olmo e Xosé Magalhães, do Ceibe. | // FERNANDO CASANOVA


Estes estabelecimentos juntam-se aos outros 12 que detêm uma estrela Michelin na Galiza: Eirado da Leña (Pontevedra), Silabario (Vigo), Maruja Limón (Vigo), Casa Solla (Poio), Yayo Daporta (Cambados), Nova (Ourense), Miguel González (Pereiro de Aguiar), A Tafona (Santiago), Casa Marcelo (Santiago), Árbore da Veira (A Corunha), As Garzas (Malpica) e Retiro da Costiña (Santa Comba). Cai da lista da Auga e Sal, premiada na gala de 2022, mas que encerrou em maio. Assim, a Galiza conta com 16 estabelecimentos com 18 insígnias.

O mapa do firmamento Michelin para 2023 foi revelado ontem em Toledo, numa gala realizada no El Greco Conference Center e apresentada pela apresentadora e actriz Berta Collado.

O evento também revelou a lista dos espanhóis Bib Gourmands, “estabelecimentos com cozinha de qualidade a preços razoáveis”, que se expande neste ano de 2023 com 38 novos restaurantes, chegando a 243. Por outro lado, os recomendados pelo Guia Michelin somam outros 119 , para um total de 736. Outra novidade é que o primeiro e o segundo levarão placas de apoio.

Além disso, o Guia Michelin anunciou a criação de um novo prémio que recompensa o trabalho dos profissionais da restauração. A estrela de melhor serviço foi atribuída a Toni Gerez, do restaurante catalão Castell Peralada. Além disso, um animado e surpreso Cristóbal Muñoz de Ambivium, em Peñafiel (Valladolid) ganhou o prêmio Young Chef; e o veterano e conceituado Joan Roca, do El Celler de Can Roca, recebeu a distinção Chef Mentor pelo “trabalho formativo de incutir nos seus discípulos o conhecimento e o amor pela gastronomia”.

Por outro lado, o restaurante Atrio de Cáceres e o Cocina Hermanos Torres de Barcelona tornaram-se as duas novas três estrelas do Guia Michelin Espanha e Portugal 2023. Com eles já somam 13 restaurantes espanhóis com três estrelas.

Na categoria Cozinha Excepcional, as duas estrelas Michelin, com Pepe Veira, o primeiro Deesa, proposto por Quique Dacosta no Mandarin Oriental Ritz de Madrid, e El Rincón de Juan Carlos, cozinha canária dos irmãos Juan Carlos e Jonathan Padrón em Adeje (Tenerife).

Por fim, e com os dois galegos, outros 27 restaurantes em Espanha conquistaram a sua primeira estrela, sendo Barcelona e Madrid as cidades com mais novidades. Adicionalmente, cinco lojas em Portugal obtêm a primeira distinção, todas localizadas nas duas maiores cidades do país, Lisboa e Porto. Os estabelecimentos são Encanto, Kabuki Lisboa e Kanazawa, na capital portuguesa, e Euskalduna Studio e Le Monument, no Porto.

Marciano Brandão

"Defensor apaixonado da internet. Amante de música premiado. Totó de café. Estudioso de mídia social ao longo da vida."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *