Estão a investigar 6 médicos de hospital em Portuguesa

No estado de Portuguesa, eles ordenaram a abertura de um inquérito contra 6 médicos que supostamente violaram a sala de emergência do Hospital Jesús María Casal Ramos, em Acarigua-Araure, atualmente em reforma e equipamentos.

Os médicos são internos e residentes no hospital e são acusados ​​de arrombamento do pronto-socorro, “dano ao patrimônio público, roubo e atos imorais”, segundo o boletim de ocorrência.

O boletim de ocorrência da Polícia Portuguesa indica que o incidente ocorreu na tarde de quarta-feira 18 e foi verificado durante uma vistoria a um dos principais hospitais da região, cujas infraestruturas são objecto de um plano de recuperação e manutenção.

Os médicos foram detidos e tratados pela polícia portuguesa e pelo Ministério Público no final da tarde de quarta-feira, antes de serem libertados algumas horas depois.

Os envolvidos foram identificados como Diana Carolina Ramos Rodríguez, Yuliber Figueredo, Albanis Yunetzi Colmenárez Anular, Darío Enrique Monasterios Villegas, José Armando Sarmiento Rodríguez e José Vicente Sandoval Perdomo.

Um grupo de médicos residentes que trabalham no campus se manifestou nesta quinta-feira contra o tratamento reservado pelas autoridades policiais a seus colegas, acreditando que acusá-los de “atacar o patrimônio público” é um ato de “difamação” e “difamação”. autoridade’.

Concentrados na zona exterior do hospital e em conferência de imprensa, alegaram que devido à remodelação do serviço de urgência, os trabalhadores não dispunham de espaços adequados para se limparem ou satisfazerem as suas necessidades fisiológicas, pelo que os médicos entraram na zona para utilizar no banheiro, “Não houve roubo ou peças foram roubadas”, disse Hermicar Zacarce, médico residente e porta-voz do sindicato.

Obra do hospital mais de 95% concluída

Trabalhar no hospital

No Hospital Acarigua-Araure estão a ser reabilitadas as urgências pediátricas e adultas, onde as obras incluem a reconstrução da área, impermeabilização das coberturas, reinstalação do sistema eléctrico, construção de novos banhos e espera, entre outras obras.

A Direção Regional de Saúde indicou esta semana que os trabalhos no hospital estão mais de 95% concluídos e que as equipas estão a trabalhar “sem trégua ou descanso” para concluir os trabalhos o mais rapidamente possível.

As obras de emergência no Casal Ramos, principal hospital da zona norte de Portugal, começaram em fevereiro passado e estão a ser realizadas pela Câmara Municipal de Araure e pelo governo regional.

outros centros

Após o início da recuperação deste hospital, outros centros de assistência em Portuguesa começaram a intervir com um plano de recuperação e manutenção anunciado há poucas semanas pelo governador Primitivo Cedeño.

Assim, o Hospital Oswaldo Barrios Tipo I e o Centro de Diagnóstico Integral Padre Esteller (CDI), ambos localizados em Píritu; o Hospital Biscucuy Tipo I e mais recentemente o Hospital Miguel Oraá, em Guanare.

Diferentes níveis de governo e até voluntários do poder popular, realizam o trabalho “para que os homens e mulheres portugueses possam ter estabelecimentos dignos e serviços de qualidade”, indica a Direção Regional de Saúde em nota de imprensa.

Nestes estabelecimentos de saúde realiza-se a impermeabilização, pintura, soldadura, impermeabilização de pavimentos, adaptações do sistema eléctrico, reparação de aparelhos de ar condicionado e da rede de abastecimento de água potável, instalação de torneiras, instalação de casas de banho, instalação de luzes LED nos espaços interiores e exteriores , entre outras melhorias, detalhou Yelirza Ortiz, única autoridade sanitária em Portuguesa.

cuidados na sala de cirurgia

A melhoria dos centros que compõem o terceiro nível de atenção à saúde em Portuguesa inclui o atendimento no centro cirúrgico.

É o caso do Hospital Miguel Oráa, em Guanare, onde em meados da semana passada a Secretaria de Saúde anunciou o início da impermeabilização dos mais de 800 metros quadrados que protegem a área cirúrgica.

Além da retirada e recolocação da cobertura asfáltica, o projeto inclui a recuperação e manutenção das tubulações de esgoto e a climatização das 4 salas cirúrgicas que compõem a área cirúrgica do quinto andar.

No Hospital Miguel Oráa foi também efectuada a manutenção da subestação eléctrica que abastece todo o centro de saúde e que se encontra na cave. O trabalho foi realizado no domingo, 15.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.