Maduro depois da marcha de 23 de janeiro: derrotamos as tentativas de guarimba e o governo interino

O chavismo saiu às ruas na manhã desta segunda-feira para comemorar o 23 de janeiro de 1958, mas também para se opor às mobilizações dos trabalhadores que exigiam salários justos. Dirigentes e simpatizantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (psv) também exigiu o levantamento das sanções internacionais.

O governador Nicola Maduro À tarde, juntou-se à mobilização vinda da praça Capuchinos de San Martín, no alto da escadaria de El Calvario, para marchar em direção miraflores. Em seguida, dirigiu-se a seus apoiadores da chamada varanda da cidade, onde anteriormente o presidente do Parlamento 2020, Jorge Rodríguez, havia proclamado uma “vitória” nas ruas de Caracas e do país.

“É o que acontece quando o chavismo sai às ruas”, gritou Rodríguez.

Já na rede nacional de rádio e televisão ao ritmo da salsa – gênero musical preferido do dirigente – Maduro elogiou o que chamou de “tremenda demonstração de força popular nas ruas da Venezuela”, protagonizada, segundo disse, por uma “consciente pessoas”.

A direita provocou o povopelas redes sociais deixaram claro que hoje, 23 de janeiro, os guarimbas voltaram, recomeçou uma espiral de violência, mas as pessoas responderam nas ruas, mobilizadas, aos milhões, posso dizer a esta hora, 4:05 à tarde, que a Venezuela está em paz”, enfatizou.

23 de janeiro de 2019

Maduro lembrou que em 23 de janeiro de 2019, o ex-presidente dos Estados Unidos, donald trump, impôs um presidente interino na Venezuela, “vendedor de países”, “fraco”. Com um vídeo, ele também lembrou que na época havia avisado que iria derrotar o que havia denunciado como uma tentativa de golpe.

“E onde estão eles e onde estão os guarimberos que iam nos derrubar?”, entoava com os seus apoiantes, para depois sublinhar que “o bobolongo”, em alusão ao líder da oposição, Juan Guaidó“é feito de poeira cósmica”.

Ele pediu ao povo chavista que se mantenha permanentemente mobilizado, bem como preserve sua unidade diante das sanções internacionais.

Em um discurso de meia hora, ele também cumprimentou os governos reunidos na VII Cúpula de Chefes de Estado da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (esta) em 24 de janeiro na Argentina.

Ele não mencionou os motivos de sua ausência na reunião, apenas mencionou a proposta da Argentina e do Brasil de criar uma moeda comum para a América do Sul, a fim de garantir que a Venezuela não apenas apoie a iniciativa, mas esteja “pronta” para tomá-la .

“A Venezuela está pronta e apóia a iniciativa de uma moeda comum latino-americana e caribenha, unidade, há muitas coisas que precisamos fazer no futuro”, disse ele.

Primeiro os fundos, depois o México

A caminhada vermelha foi feita desde a Plaza Capuchinos de San Martín e a Avenida Sucre de Catia, no município de Libertador, até o Palácio de Miraflores.

“Gente na rua é a receita perfeita para quem quer desestabilizar e conspirar”, admitiu o primeiro vice-presidente do PSUV, deus deu o cabelopresentes na marcha pró-governo.

Tanto em Caracas quanto em estados como Bolívar, Apure, Aragua, Lara, Portuguesa, Táchira, Nueva Esparta, La Guaira, Trujillo, Sucre e Delta Amacuro houve mobilizações.

A constante nos discursos dos governadores e dirigentes do PSUV foi culpar as sanções do salários baixosexigem a liberação de recursos para o acordo social assinado no México e a promessa de que da mão de Maduro “tempos melhores virão”.

“O aliado dos trabalhadores é o governo, não aqueles que pediram sanções”, disse Cabello.

Em declarações à VTV, a MP de 2020 reiterou que se países como os Estados Unidos não divulgarem o US$ 3,2 bilhões investir em áreas como saúde e educação, não há porque voltar Negociações no México E se voltarem, repete, não é “para fazer a revolução”.

O Ministro do Petróleo, Tarek El-Aissami Ele também se apresentou para rotular a oposição que prometeu liberar fundos para o acordo social como “implacável”, mas agora “não dá respostas”.

Francisco Araújo

"Nerd de álcool. Leitor. Especialista em música. Estudante típico. Jogador irritantemente humilde. Especialista em zumbis. Solucionador de problemas sutilmente encantador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *