Marrocos preocupado com cota de gols no Catar

A seca de gols de Youssef En-Nesyri alarma o Marrocos a caminho da Copa do Mundo.

En-Nesyri ainda não divulgou sua contagem de gols com o Sevilla até agora na Liga espanhola, depois de marcar 18 gols há duas temporadas.

Autor de 14 gols em 49 partidas pela seleção, incluindo a vantagem contra a Espanha na Copa do Mundo na Rússia, há quatro anos, En-Nesyri é um peão indispensável no funcionamento ofensivo da seleção marroquina.

Mas tem pó húmido, coisa que não acontece com Sofiane Boufal.

Aos 29 anos, Boufal está no auge de sua carreira. Ele marcou quatro de seus cinco gols com a seleção este ano. Ele também tem três das 10 partidas com o Angers na primeira divisão francesa.

Ele sempre foi um jogador de alta qualidade, mas propenso a altos e baixos.

Cinco anos atrás, Boufal marcou um gol lendário pelo Southampton, começando a corrida do seu próprio meio-campo, driblando cinco adversários. Ele ganhou o prêmio de melhor jogador da temporada 2017-18 na Premier League.

O RETORNO DE ZIYECH

Enquanto Bounfal se encaixa em sua melhor versão, Hakim Ziyech retorna à seleção após ser separado pelo ex-técnico Vahid Halilhodzic. O atacante inglês do Chelsea foi afastado devido a uma disputa sobre sua suposta recusa em ser convocado para um amistoso.

“Um jogador que se recusa a treinar, que se recusa a jogar, que finge uma lesão, para mim isso é uma história encerrada”, disse Halilhodzic à emissora croata Nova TV em abril. “A seleção nacional é sagrada.”

Apesar de se classificar para o Catar, Halilhodzic foi demitido em agosto. A federação marroquina assegurou que devido a diferenças na preparação da seleção nacional para o Mundial, em que se encontrava num difícil grupo F. Eles farão sua estreia contra a Croácia, vice-campeã do torneio de 2018, em 23 de novembro. O próximo adversário será a Bélgica, semifinalista há quatro anos, e com o Canadá perto.

NOVO TÉCNICO

O Marrocos contratou como técnico Walid Regragui, um marroquino de 47 anos que jogou 45 jogos com a seleção nacional como lateral-direito. Na temporada passada, Regragui levou o clube marroquino Wydad Casablanca à dobradinha doméstica e africana.

Regragui não hesitou em citar Ziyech.

Em um amistoso contra o Chile em setembro, Regragui deu a entender seu plano para enfrentar a Croácia ao colocar Ziyech no flanco direito, Boufal no esquerdo, com En-Nesyri no meio.

Ele apertou o botão. Boufal sacudiu as redes. O mesmo vale para Abdelhamid Sabiri, que teve boa produção de gols na Itália com a Sampdoria e marcou seu primeiro gol pela seleção.

Apelidado de ‘o mágico’ pelos torcedores do Ajax, Ziyech está em busca de vingança depois de uma Copa do Mundo amarga na Rússia, onde perdeu o chamado gol na derrota por 1 a 0 para o Irã na partida de ida.

PROBLEMAS DEFENSIVOS

O lateral-esquerdo Adam Masina foi descartado depois de romper um ligamento no joelho direito enquanto jogava pela Udinese na Série A italiana.

Após sofrer uma lesão na pré-temporada, o promissor zagueiro Nayf Aguerd acaba de fazer sua estreia pelo West Ham na Premier League inglesa.

COPA DO MUNDO PASSADO

O Marrocos, que disputa sua sexta Copa do Mundo depois de estrear em 1970, foi o primeiro time africano a chegar à fase eliminatória em 1986.

Eles conquistaram o primeiro lugar à frente de Inglaterra, Portugal e Polônia, mas perderam por 1 a 0 para a Alemanha Ocidental nas oitavas de final.

___

O escritor da AP Tarik El-Barakah em Rabat, Marrocos, contribuiu para este relatório.

Marciano Brandão

"Defensor apaixonado da internet. Amante de música premiado. Totó de café. Estudioso de mídia social ao longo da vida."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *