Montanhismo: Alpinista português morre na Serra de Gredos e outras oito pessoas são resgatadas

euvocês Especialistas em montanhas da Guarda Civil resgataram nove pessoas no fim de semana passado na Serra de Gredos, em Ávila, uma das quais morreu, um montanhista de 43 anos, de nacionalidade portuguesa, que perdeu a vida após cair de uma altura de 100 metros.

Além disso, outras oito pessoas tiveram que ser socorridas em Portilla Bermeja e Portilla del Crampon, dois locais situados perto do Pico Almanzor, que, com seus 2.591 metros, é o mais alto do Sistema Central, segundo nota da Guarda Civil.

Todas as apresentações aconteceram em poucos dias com Condições meteorológicas adversas no maciço de Ávilajá que as temperaturas estavam muito baixas, produzindo manchas de gelo, muito perigosas para operar nas montanhas.

O primeiro resgate ocorreu no sábado, no área conhecida como Portilla Bermejano município de Zapardiel de la Ribera (Ávila), onde havia duas pessoas que precisavam de ajuda, depois que uma delas sofreu uma queda durante a qual escorregou aproximadamente 100 metros em uma área de gelo.

Esta situação levou-o a embater contra as pedras, o que lhe provocou uma lesão na perna esquerda, que obrigou especialistas em montanha a viajarem para a regiãoimobilizando a perna do montanhista ferido, equipando-o com agasalhos, já que a temperatura era de 18 graus abaixo de zero a 2.300 metros acima do nível do mar.

O resgate foi feito em uma maca que foi transportada por uma área de encostas íngremes, neve e gelo duro, por aproximadamente três horas, até chegar ao refúgio Laguna Grande, onde pernoitaram, antes de serem transferidos no domingo por helicóptero para o Heliporto de Hoyos del Espino (vila). Lá, os serviços de saúde o aguardavam para prestar os primeiros socorros e transferi-lo para o complexo da Vila Assistência.

O segundo resgate ocorreu na manhã de domingo, após às 11h15. um português de 43 anos cairia de uma altura de 100 metros na mesma zona do anterior e perderia a vida depois de bater seu corpo contra as rochas.

Depois de comprovar sua morte e com a correspondente autorização judicial, o corpo foi removido, que foi evacuado de helicóptero para o heliporto de Hoyos del Espino, onde foi recuperado pelos serviços funerários e transferido para o Instituto de Anatomia Forense de Ávila.

Praticamente ao mesmo tempo que este resgate, os especialistas de montanha da Guarda Civil intervieram na Portilla del Crampon no resgate de outras seis pessoas que ficaram presas na descida do Pico Almanzor.

Policiais que participaram do resgate anterior eles observaram as dificuldades que outro alpinista estava passando que fazia este percurso, dois dos quatro especialistas que lá se deslocam para o ajudar, dadas as más condições do terreno devido à presença de calotas polares muito duras.

Depois de contactá-lo, disse aos oficiais que estava “muito nervoso e cansado”, os especialistas procederam à sua evacuação por cordas utilizando um sistema de “booster” até um ponto seguro.

Mais tarde, a Guarda Civil ajudou a derrubar outras cinco pessoas que realizavam a mesma atividadeusando o mesmo sistema até chegarem às proximidades do refúgio Laguna Grande, onde poderiam continuar sem risco à sua integridade.

Todas estas intervenções foram realizadas pelo Grupo de Salvamento e Intervenção em Montanha (GREIM) da Guarda Civil de El Barco de Ávila e pela Unidade de Helicópteros da Guarda Civil com base em Torrejn de Ardoz (Madrid).

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *