Música e emoções à tona no único encontro de Tomlinson na Espanha

Fuengirola (Málaga), 25 de agosto (EFE).- Música, emoções cruas e telemóveis transmitidos em directo durante o concerto do cantor britânico Louis Tomlinson este sábado em Fuengirola (Málaga), naquela que foi a sua única actuação num palco espanhol nesta temporada.

Foi a primeira visita britânica a Málaga e mais de 15.000 pessoas se reuniram ao pé do Castelo de Sohail; um público apaixonado formado principalmente, mas não exclusivamente, por jovens de vinte e poucos anos, como Jules Rueda e Lina Yamunake.

Alguns passaram horas nos portões de Marenostrum esperando encontrar um bom lugar para curtir o concerto, como foi o caso de Ender Fernández, o primeiro a entrar, ou sua amiga Aurora Villar; ambos os fãs leais de Doncaster o acompanharam em suas apresentações na Europa neste verão ‘enquanto os créditos acabavam’.

Ender y Aurora, al igual que outros muchos jóvenes, llegaron a Fuengirola hace uma vez días procedentes da Bélgica -donde Tomlinson actuó hace umas semanas- e passou todo este tempo de acampada disfrutando del sol y la playa en la Costa del Sol, eso sí , até sexta-feira.

Assim que se levantaram no sábado ficou claro que tinham que chegar logo a Marenostrum e tomar posição; então eles começaram a fazer fila muito cedo e “olha onde estamos, na primeira fila, valeu a pena”, comentaram satisfeitos e sorridentes.

Mal sabiam eles na época que, ao final da apresentação, seu amado Louis – aquele que ama “tudo” e não entende que “tem gente que pode não gostar” – ia descer do palco e deitar-se, literalmente, nos braços do público, cujos membros da segurança de sua equipe tiveram que resgatá-lo.

Quando as primeiras notas de “We made it” soaram e Tomlinson começou a cantar, eles não aguentaram mais e a emoção tomou conta deles; eles riram, choraram, dançaram, gritaram loucamente e abraçaram seus amigos; O momento mais esperado de um festival para o qual eles foram prontos para jogar fora o resto e dar tudo de si havia chegado.

Então, eles cantaram com entusiasmo junto com o ex-integrante da “boy band” (boy band) “One Direction”, à qual os britânicos se juntaram após participar do popular programa de TV “The X Factor UK”, onde o grupo chegou à final e ficou em terceiro lugar.

O britânico, que partilhou o palco do seu “Away From Home Festival” com o grupo madrileno “Hinds” e o grupo finlandês “Stone”, entre outros, interpretou algumas das suas canções mais populares como “Little Black Dress” para terminar com “Through the Darkness” e “Kill My Mind”.

O cartaz apresentava os igualmente britânicos ‘The Vaccines’, uma banda de indie rock que se consolidou na última década como uma das mais representativas do seu género; e os americanos “Sun Room”, outros que acompanham o artista em sua turnê; além de uma apresentação especial do DJ dos “Libertines” de Londres, Carl Barât.

A espera por este evento único foi “máxima”, frisaram os organizadores, e para participar no festival, cujas portas abriram às nove da manhã, chegaram autocarros do Reino Unido, Portugal ou Itália mesmo, e os bilhetes foram adquiridos do Uruguai ou Argentina .

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.