Notícias arquibancada Talavera

O Produto Interno Bruto (PIB) por habitante que tivemos em Espanha em 2007, ascendeu a 32.549,97 dólares por habitante, menos nove mil que a França e mais dez mil que Portugal. Hoje caímos para $27.057,16, onze mil a menos que a França e cinco mil a mais que Portugal. Portanto, devemos ter feito algo errado quando, em comparação com nossos vizinhos, estamos pior em termos absolutos e relativos do que há 15 anos. Hoje, aliás, o cenário econômico, assim como a guerra na Ucrânia, não nos permitem ser excessivamente otimistas. Mas temos que contribuir com o que pudermos para sair dessa situação.
As empresas espanholas estão exportando mais, a demanda interna parece ser estimulada, a inflação na Espanha em setembro, pela primeira vez, é inferior à da zona do euro, que vai para 10%, enquanto permanecemos em 9%. Recebemos notícias da queda dos preços das commodities. O preço médio do barril de petróleo da OPEP caiu para 95,63 dólares contra 101,9 dólares em agosto passado. Os números macro deveriam nos dar alegria. O Banco Central Europeu (BCE) está aumentando as taxas e colocando-as em 0,75%, alertando que elas vão subir ainda mais, então temos que estar preparados para o que isso implica. O governo terá que ter cuidado com o que faz com as emissões de dívida pública, o BCE não vai comprar tudo o que é emitido, e os juros a serem pagos serão bilhões a mais. Mas continuamos a mostrar que a Espanha não sabe ou não quer gerir os fundos europeus. A Espanha gastou apenas 23% dos fundos europeus disponíveis para os anos de 2021 e 2022. Pouco mais de 2.000 milhões já foram perdidos em 2021 “devido à sua lenta execução” e em 2022 o tratamento não parece estar indo bem rota. Atualmente, a gestão desses fundos e as transformações estruturais que permitiriam sua realização são uma importante ferramenta que deve ser aplicada com agilidade e sucesso. Lamento dizer que não conheço nenhuma empresa que tenha aprovado um projeto que tenha recebido fundos do Next Generation.

Marciano Brandão

"Defensor apaixonado da internet. Amante de música premiado. Totó de café. Estudioso de mídia social ao longo da vida."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *