“O pastor sempre foi o candidato”, disse Nano Galaverna

O deputado do movimento Honra Colorado, Juan Carlos “Nano” Galaverna, disse que o segundo em comando do poder executivo, Hugo Velázquez, acabou sendo traído por referentes da Força Republicana e pelo próprio presidente Mario Abdo Benítez, para impor a candidatura à presidência da República do ex-ministro das Obras Públicas, Arnoldo Wiens.

“Não tenho provas, mas não tenho dúvidas, Velázquez foi traído por sua equipe política e por Abdo Benítez. O presidente nunca gostou de Velázquez, sempre teve ciúmes de sua liderança. O pastor sempre foi o candidato de Abdo Benítez à presidência, mas Wiens, devido ao seu comportamento hesitante, não se atreveu a enfrentar Velázquez”, disse ele.

Velázquez foi forçado a desistir de suas aspirações políticas de representar o partido no poder nas eleições internas partidárias de 18 de dezembro para o cargo de chefe de Estado depois de ser chamado pelos Estados Unidos de “muito corrupto” ao ser denunciado por uma tentativa de subornar um oficial para obstruir um processo de investigação que ameaçava seus interesses financeiros.

Leia também: Ocultação do narcotráfico: Zully Rolón usou a Senad para proteger Giuzzio, denunciam

A falta de apoio político do partido no poder ao vice-presidente da República e a imposição da figura de Wiens acabaram por desencadear a fuga de importantes lideranças. “Eles buscaram o caminho da traição, mentira e difamação, foi assim que pagaram Hugo Velázquez”, disse o parlamentar em entrevista à rádio 1020 AM.

Várias ex-autoridades da Força Republicana, como o vereador Ceres Escobar e outros, manifestaram seu repúdio à candidatura do ex-funcionário estadual e acusaram o presidente de dar as costas às bases partidárias da Força Republicana e de ter sido ignorado durante o processo eleitoral.

Pode lhe interessar: Tati Giménez: “É a vez dos jovens na política”

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.