O Planetário de Pamplona organiza duas sessões de observação de Perseidas

o Planetário de Pamplona organizado nesta sexta-feira, 12 de agosto, duas sessões para observe as Perseidas, a famosa chuva de estrelas cadentes que tem seu momento de maior atividade a noite de 12 para 13 deste mês.

O Planetário programou duas sessões especiais, às 17h00 e às 18h00 na sala Tornamira e, posteriormente, vai fretar ônibus para ir ao Vale do Roncal para a observação deste fenômeno com a colaboração do Associação Astronavarra Sarea Vermelhoa empresa de serviços astronômicos de Roncal eu sou planetário e o centro de esqui nórdico de Larra-Belagua pertencente, como o planetário, ao Empresa pública NICDO.

A chuva de meteoros Perseidas é causada pelo rastro de partículas, poeira e meteoritos que o Cometa 109P/Swift-Tuttle deixa para trás enquanto orbita o Sol. Este cometa mede 26 km de diâmetro e leva 133 anos para completar uma revolução. No verão nosso planeta cruza a trajetória seguida pelo 109P/Swift-Tuttle e esse material cai em nosso brilhante planeta quando interage com a atmosfera da Terra, explica o Planetário.

Esta sexta-feira, 12 de agosto, as sessões das 17h00 e das 18h00 serão dedicadas exclusivamente a este fenómeno astronómico.*As entradas eles podem ser adquiridos no site do planetário ou na bilheteria do centro.

O preço das sessões especiais é 3 euros por pessoa. As pessoas que desejam viajar de ônibus do planetário até o local de observação Roncal Valley e voltar podem comprar seu lugar na bilheteria do planetário para uma pessoa preço de 12 . A saída dos ônibus será às 19h30 com chegada ao ponto de observação por volta das 21h30. À meia-noite, os ônibus partirão para o retorno a Pamplona, ​​com previsão de chegada às 2h.

O Planetário lembra você de trazer roupas quentes e lanches, se desejar. As vagas são limitadas até a lotação total.

Para apreciar as Perseidas, não é preciso instrumentos ópticos, como binóculos ou telescópios, nem ter conhecimentos especiais em astronomia, pois os meteoros podem ser vistos por toda a abóbada celeste. Isso sim, todas as trajetórias têm sua origem na constelação de Perseu (daí o seu nome) que emerge do horizonte para nordeste depois da meia-noite.

‘A NOITE NECESSÁRIA’.

O Planetário de Pamplona incluiu em seu programa de verão o filme ‘A noite é necessária’, que combate os efeitos da poluição luminosa.

É um audiovisual para planetários que inclui sequências noturnas realizadas em várias cidades espanholas, animações imersivas que recriam lugares remotos do cosmos e incorpora no filme a projeção do céu estrelado do projetor óptico de estrelas Zeiss.

“Ninguém pode negar que a iluminação noturna é uma invenção maravilhosa que nos permitiu prolongar a atividade fora de casa depois de escurecer e tornou mais seguro caminhar nas ruas e caminhos.”, indicou o centro, que, no entanto, criticou o facto de “a iluminação A nossa actividade começou a tentar erradicar a noite, aumentando os níveis de luz nocturna para limites muito acima do que necessitamos e que comprometem o equilíbrio dos ecossistemas nocturnos, a sustentabilidade energética das nossas sociedades, a saúde humana e, claro, o acesso a paisagens noturnas e o céu estrelado”.

Salientou que o problema da poluição luminosa tem a vantagem, face a outras formas de poluição, de que “neste caso, sabemos como resolver o problema e, além disso, a solução não custa mais, mas poupa-os”.

O programa é produzido pelos Museus de Ciência da Câmara Municipal de Coruñeses-A Coruña com o apoio da Fundação Espanhola para a Ciência e Tecnologia e a participação do Planetário de Pamplona, ​​bem como uma dezena de planetários e museus de ciência em Espanha, Portugal e Alemanha .

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.