O uso adequado da tecnologia é essencial para adaptar a publicidade aos regulamentos europeus de privacidade do usuário

A cidade de Bilbau foi palco de uma interessante reunião esta quinta-feira que destacou a incerteza causada no setor publicitário pelas recentes resoluções que as autoridades de proteção de dados da União Europeia tomaram em relação à privacidade dos internautas.

Na conferência “Publicidade digital e privacidade: rumo a um modelo mais responsável com o usuário” organizada pela agência Mediasal, do grupo dentu, e a empresa Ecija Abogados, participaram três eminentes especialistas que coincidiram em destacar o uso correto da tecnologia como chave principal para adaptar a publicidade dos anunciantes aos regulamentos europeus.

Com a aplicação do Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) em nosso país em 2018, que trouxe o consentimento explícito dos usuários em relação à transferência de seus dados pessoais, e o próximo desaparecimento de cookies de terceiros, muitas questões surgem. para agências e anunciantes: quais alternativas estão sendo desenvolvidas para identificar usuários sem cookies de terceiros? Como essa mudança afeta a personalização de anúncios e como ela será medida? Qual é o quadro legal para cumprir a regulamentação em vigor e evitar sanções ou danos à reputação?

Lorena Roque, Ads Privacy Lead Espanha e Portugal no Google, explicou as soluções de sua empresa para operar em um ecossistema de privacidade digital e explicou por que é importante respeitar a privacidade do usuário. “O Google Espanha está adaptando seus produtos e soluções para garantir a continuidade do ecossistema de marketing digital a longo prazo” e acrescentou que “respeitar a privacidade dos usuários e desenvolver estratégias de marketing que atendam aos objetivos de negócios não são contraditórios: é possível e é necessário conseguir ambos graças à tecnologia”.


Juanma Elices, diretora da Dentsu Solutions, explicou como na dentu “estamos criando um modelo de publicidade e marketing mais amigável” e como os usuários estão experimentando todas essas mudanças. Depois de analisar quais são as chaves, garantiu que é o grupo de comunicação “que melhor conhece o consumidor atual e futuro”. Para a dentu, “a privacidade deve transformar a forma como fazemos marketing para que o usuário deixe de ser vítima da mudança e se torne protagonista de soluções sustentáveis ​​para novos desafios regulatórios, onde a experiência do cliente é essencial para o sucesso do negócio”.

Por sua vez, María González Moreno, parceira social de privacidade e conformidade de TI da Ecija, detalhou onde estamos no nível regulatório: “Os usuários buscam e exigem respeito e proteção de sua privacidade, um objetivo que é coletado e reconhecido como um direito fundamental nos regulamentos em vigor, e aplicáveis, tanto os relativos à proteção de dados pessoais, como os regulamentos dos serviços da sociedade da informação”. Perante um quadro regulamentar em constante mutação, que tenta adaptar-se ao desenvolvimento imparável da tecnologia e às alternativas que permite, “é fundamental procurar um equilíbrio entre o desenvolvimento empresarial (seja qual for o setor), a extração do máximo potencial de tecnologia em ações de marketing e publicidade, mas dentro de um quadro de conformidade, respeito e proteção dos direitos dos usuários”

A reunião, moderada por Javier Fernández Peña, Diretor Comercial e Campeão de Privacidade de Dados da Mediasal, foi realizada no Azkuna Zentroa, na capital da Biscaia, em uma sala que abrigaria todo o painel.

Filomena Varela

"Desbravador do bacon. Geek da cultura pop. Ninja do álcool em geral. Defensor certificado da web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *