Oliveira vence GP onde Márquez permanece no top 5

Francês Fabio Quartararo (Yamaha)que depois de sua vitória o Grande Prêmio da Alemanhacomemorado em Sachsenring (19 de junho)tinha nada mais e nada menos que 91 pontos à frente do italiano ‘peco’ Bagnaia (Ducati)ainda é o líder Campeonato Mundial de MotoGPcom três corridas para ir (Austrália, Malásia e Valência)mas já com apenas dois pontos de vantagem sobre o líder da firma de Borgo Panigale (219 a 217), que hoje, no Grande Prémio da Tailândia, que os portugueses venceram Miguel Oliveira (KTM) na água, teve a vantagem de que os franceses Johann Zarco (Ducati) Ele não queria tirar o terceiro lugar e o pódio dele depois de vencer com ritmo extraordinário.

“Fiz uma grande corrida, sim, mas quando cheguei à altura de ‘Pecco’ (Bagnaia), pensei que, como não poderia vencer, Bagnaia deveria estar protegido, como todos pensávamos.”, disse Zarco ao DAZN. “A Ducati deixa-nos empurrar se for para ganhar, se for para outra posição, temos de pensar nisso, porque o ‘Pecco’ está a lutar pelo título”. Por outras palavras, Zarco, que até à sua chegada a Bagnaia conduzia um segundo mais rápido que o italiano e parou subitamente, não quis ultrapassá-lo e arrebatar-lhe o pódio e pontos valiosos. Claro que em França já está a ser criticado nas redes e sugere-se-lhe, caso não queira ajudar o seu compatriota Fabio Quartararo (Yamaha) a conquistar o título de MotoGP, candidatar-se à nacionalidade italiana.

Pontuação em movimento

A prova, que atrasou mais de uma hora devido a uma tempestade típica na zona, voltou a contar com um grande Marc Márquez (Honda), que acabara de ser quarto em Motegi (Japão) e terminou hoje em quinto depois de Oliveira, o australiano Jack Miller (Ducati), que vai se casar na próxima semana, Bagnaia e Zarco. Uma corrida em que os outros dois candidatos, ‘El Diablo’ e Aleix Espargaró (Aprilia), tiveram uma chance diferente. O francês terminou em 17º lugar e não conseguiu pontuar, enquanto o mais velho dos irmãos Espargaró terminou na 11ª posição depois de vários problemas, incluindo uma penalidade por bater em Brad Binder na primeira volta.

“É o melhor fim de semana desde que comecei a correr novamente e estou muito satisfeito. É verdade que o pódio foi próximo, já dissemos a nós mesmos que se a corrida acontecesse na chuva, poderíamos aspirar a uma ‘gaveta’, mas nem tudo correu bem”, comentou Mark Marquez. “Saí tranquilo, porque aquele pneu traseiro me traiu em outras ocasiões e, então, quando cheguei ao ‘Pecco’, tentei encontrar uma curva para passar, mas não quis arriscar muito porque ele estava jogando pelo título e não havia como jogá-lo fora”. O campeão de Cervera reconheceu que a semana de descanso que está a começar “será óptima para mim” e, mais tarde, “vamos empurrar novamente na Austrália e na Malásia se conseguirmos subir ao pódio”.

Quartararo, ainda liderando

Notícias relacionadas

O Campeonato do Mundo entra assim no seu sprint final com um Bagnaia, que já começa a contar com a ajuda dos outros pilotos da Ducati (Zarco hoje, que veio com muito ritmo, abrandou quando chegou ao final do ‘ ). o melhor ano de sua vida, depois de 19 temporadas na Copa do Mundo.

Mundial de Pilotos: 1. Fabio Quartararo (França), 219 pontos; 2. ‘Pecco’ Bagnaia (Itália), 217; 3. Aleix Espargaró (Espanha); 4. Enea Bastianini (Itália), 180 e 5. Jack Miller (Austrália), 179.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *