onde e quando ver a chuva de meteoros mais esperada do ano

As noites de 12 e 13 de agosto serão as noites tão esperadas chuva de meteoros Perseidas que, apesar da poluição luminosa e do brilho da Lua, pode ser apreciado em vários lugares das Ilhas Canárias, como o Parque Nacional do Teide ou o Roque de Los Muchachos, em La Palma, onde estão sendo preparadas operações especiais.

Assim, a Área de Gestão do Ambiente Natural e da Segurança do Cabildo de Tenerife vai lançar uma operação especial no Monte Teide para evitar situações de “descontrolo” na observação.

O primeiro objetivo da operação é a segurança das pessoas que se deslocam ao parque nacional, além da proteção da área natural protegida, disse o Cabildo de Tenerife em comunicado na terça-feira.

“O afluxo excessivo de viaturas durante a observação da chuva de meteoros, como todos os anos, pode gerar uma situação de descontrolo como já aconteceu noutras ocasiões, para o qual colocamos alguns reforços tanto nos postos de controlo dos bombeiros como nos serviços de informação”, indicou a vereadora da região, Isabel García.

Observar a chuva de meteoros no parque nacional é uma atividade tradicional no verão, mas “deve ser realizada da maneira mais respeitosa possível com um ambiente muito sensível como o Monte Teide, prestando atenção especial à limpeza e trânsito por locais não habilitados, ”, diz Garcia.

A este respeito, o conselheiro pede à população “mais uma vez” que use o bom senso e respeite as sinalizações e instruções dos funcionários do parque.

Este reforço, que será implementado nos dias previstos, prevê o alargamento do horário dos postos de combate a incêndios e carrinhas com caixas de água de 400 litros, dois camiões Unimog e duas viaturas de serviço de informação que farão rondas em diferentes pontos do parque . e controlar a lotação dos parques de estacionamento, podendo limitar o acesso quando estão cheios.

As Perseidas, ao vivo

Graças à colaboração do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC) com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), no âmbito dos projetos Interreg EELabs e Life Natura@night, a noite de 12 para 13 de agosto , o canal sky-live.tv vai transmitir a atividade máxima da chuva de meteoros Perseidas da Madeira e do observatório Roque de Los Muchachos, situado nos cumes da Garafía, informa o IAC em comunicado de imprensa.

10% da superfície continental do planeta, diz ele, “é afetada pela poluição luminosa, mas se levarmos em conta o SkyGlow (brilho do céu), produzido pela emissão de luz artificial na atmosfera, esse percentual aumenta para 23%. ”. As consequências da emissão de luz artificial no céu, acrescenta, “afetam a biodiversidade, a nossa saúde e, claro, a astronomia; e as perspectivas para o futuro não são nada otimistas. No entanto, existem regiões que lutam para inverter esta tendência, como é o caso da Macaronésia, em que instituições de diferentes áreas se juntaram em vários projetos de combate a este tipo de poluição atmosférica, quantificando os níveis de poluição luminosa nestas zonas. onde não deveria ter chegado e tomar medidas para impedir o seu progresso.

Uma dessas iniciativas, diz ele, é conscientizar a população sobre o problema da poluição luminosa. Para o efeito, na noite de sexta-feira 12 de agosto para sábado 13 de agosto, o canal sky-live.tv transmitirá a chuva de meteoros Perseidas em direto do Pico do Arieiro (Madeira, Portugal). “Este ano, a lua cheia dificultará a detecção dos meteoros mais fracos. Por isso, a frequência das Perseidas será menor – cerca de uma a cada 15 minutos – e só observaremos os mais brilhantes, que continuarão sendo Como nos anos anteriores, é preciso encontrar um lugar longe dos centros urbanos, fixar o olhar em um ponto do céu e esperar pacientemente para ver alguns rastros de luz das Perseidas”, comenta Serra-Ricart, astrônomo do IAC e coordenador do projeto EE Labs.

Como todos os anos em torno dessas datas, explica a nota do IAC, a Terra passa pela nuvem de poeira e rocha que o cometa Swift-Tuttle deixou para trás em cada uma de suas órbitas ao redor do Sol. Como resultado, “nas noites de meados de julho até o final de agosto, testemunhamos a atividade das Perseidas, conhecidas como Lágrimas de Saint Laurent. Este ano, seu máximo é esperado às 01:00 UT da manhã de 13 de agosto. Na Europa, portanto, a noite de 12 para 13 de agosto verá a atividade máxima dessa chuva de meteoros. Sabe-se -a partir de cálculos do modelo padrão- que a atividade Perseid é de cerca de 100 meteoros/hora (ZHR ou taxa horária zênite), embora este ano a Lua Cheia torne difícil observar a noite toda”.

O que são “estrelas cadentes”?

As pequenas partículas de poeira, algumas menores que grãos de areia, que se desprendem de cometas – ou asteróides – ao longo de suas órbitas ao redor do Sol são chamadas de “estrelas cadentes”. A nuvem de partículas (meteoróides) que resulta, devido à fusão produzida pelo calor, é dispersada pela órbita do cometa e atravessada pela Terra na sua viagem anual em torno do Sol. Nesse encontro, as partículas de poeira se desintegram ao entrar na atmosfera terrestre em alta velocidade, criando os famosos raios de luz que recebem o nome científico de meteoros.

As Perseidas levam o nome da constelação de Perseu, onde está localizado seu radiante (o ponto no céu de onde parecem ter nascido), mas têm sua origem no cometa Swift-Tuttle, descoberto em 1862, e que , com aproximadamente 26 km de diâmetro, é o maior objeto que se aproxima periodicamente da Terra.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.