Piloto aragonês Guillermo Aso sobe ao pódio da Resistencia Supercars em Portimão

O piloto aragonês Guilherme Ass completou no último fim de semana sua participação no segundo teste do Endurance Supercars, o principal campeonato a nível ibérico de veículos nas especificações GT4 e TCR, realizado no Autódromo Internacional do Algarve. O homem de Saragoça, conduzindo o SMC Motorsport McLaren 570S GT4teve um upline claro e se tornou o protagonista com o parceiro Tommy Pintos.

Na manhã de sábado, Aso teve o primeiro contato com um circuito em que esteve sempre no pódio nas suas visitas anteriores. O internacional terminou em segundo na sessão de treinos livres da manhã com um tempo de 1m54,624s, a apenas três décimos das pistas de Rodrigues/Cunha em um Audi R8 LMS GT4. Mais tarde, nas duas sessões de qualificação realizadas à tarde, Aso registrou um melhor tempo de 1m55,466s no Q1, o que o deixou em quarto, mas o empate foi a nota dominante com os cinco primeiros separados por um único segundo.

No Q2, foi a vez de Pintos com o melhor tempo de 1m54,840s, o que lhe daria a terceira posição no grid de largada. Já no domingo, na primeira corrida, Aso deu a largada, optando por não correr riscos e cuidando da mecânica e dos pneus para poder atacar na parte final. Após doze voltas, o Zaragoza voltou às boxes na quarta posição para entregar a Pintos. Eles entraram na corrida na quinta posição geral, mas o sprint final de Pintos permitiu que eles certificassem o segundo lugar no final. entre o GT4 Pro e segundos absolutos.

Guillermo Aso com seu parceiro Tommy Pintos na segunda gaveta do pódio
SMC Motorsport

Na segunda corrida, Pintos lutou pela liderança desde o início e assumiu a liderança na sétima volta. Após a parada, Aso travou uma batalha emocionante com Manuel Giao (Mercedes AMG GT4) e Fernando Navarrete (McLaren 570S GT4) até que um problema na caixa de câmbio o derrubou do pódio, mas ele ainda conseguiu manter o quarto lugar em velocidade reduzida. .

“Continuei minha série de pódiossim Na primeira corrida, talvez não tenha tido o ritmo que esperava, especialmente no trânsito,” explicou Aso, acrescentando que “no entanto, na segunda senti-me muito confortável. Tommy fez um ótimo stint e o pit stop da equipe foi magnífico. Pena que, enquanto eu estava na liderança, uma volta me atrapalhou e Giao e Navarrete aproveitaram para me ultrapassar. No final, a caixa de velocidades travou e tive mesmo de desligar o motor e voltar a arrancar. Pelo menos cheguei à linha de chegada e ainda estamos na luta pelo título. Tentaremos em Barcelona, ​​em setembro, alcançar a tão esperada vitória”, disse. concluiu.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.