Podemos pede para não comparar Espanha a Portugal depois dos maus resultados das esquerdas alternativas

A recente vitória em Portugal do Partido Socialista (PS) de António Costa, com uma histórica maioria absoluta, confirma uma tendência ascendente da centro-esquerda do Velho Continente.

A esquerda moderada parece estar à vontade na UE, que tem sete governos liderados por social-democratas: Alemanha, Portugal, Dinamarca, Espanha, Malta, Finlândia e Suécia.

Diante de um cenário dessas características e com os resultados portugueses como um possível presságio, do Podemos eles queriam marcar distâncias para evitar possíveis comparações.

“Espanha não é o caso de Portugal, e graças a uma luta feroz para entrar no governo, a United We Can tem hoje um grande candidato e com vários jovens líderes dentro do Governo, aspirando assim a ultrapassar os seus últimos resultados eleitorais”, declararam Público itens de festa.

Além disso, apontam da formação roxa o aumento de votos que a soma da direita e da extrema direita experimentou no país vizinho, um mau presságio cujo antídoto em nosso país é respeitar fielmente as medidas acordadas pelo governo de coalizão .

“Em Portugal, o bloco de direita com extrema direita aumentou em relação aos resultados anteriores. Por isso é importante respeitar as expectativas das pessoas que apoiaram este governo e ser ambicioso no respeito de todas as medidas acordadas”.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *