Portugal vai reduzir IVA sobre a gasolina e outros impostos em 10% devido à inflação

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira um pacote de medidas apresentado pelo governo socialista para mitigar a inflação, que inclui a suspensão das taxas mínimas do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) de forma a reduzir este imposto. A proposta, que suspende os mínimos até o final do ano, reduzirá o ISP para criar um efeito equivalente ao da redução do IVA de 23% para 13% -a taxa intermédia-, uma vez que Bruxelas não permite a redução deste último imposto sobre a energia.

O pacote de medidas foi aprovado por grande parte do hemiciclo, onde os socialistas têm maioria absoluta, com a abstenção dos deputados da extrema direita Chega, dos comunistas e do defensor dos animais PAN. A proposta também inclui Isenção de IVA sobre fertilizantes e alimentos para animais para os animais destinados às atividades de produção agropecuária e a publicação de relatório trimestral sobre a formação dos preços de venda de combustíveis ao público, elaborado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Energia.

O objetivo deste relatório é garantir que a redução do imposto atinja efetivamente o preço final nas estações de serviço e poder tomar medidas adicionais, se necessário. Entre eles poderiam limitar as margens de comercialização e refinamento das estações de serviço e petrolíferas, depois de o parlamento ter aprovado no ano passado uma lei que lhes permite fazê-lo sempre que sejam consideradas injustificadamente altas demais.

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, reconheceu esta sexta-feira no Parlamento que a redução dos impostos indirectos “tende a se diluir nas margens comerciais”, será, portanto, necessário estar “muito atento”. A lei aprovada pelo Parlamento passará agora pelas mãos do Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, que deve dar a sua aprovação antes de poder entrar em vigor.

O governo português já implementou outras medidas para lidar com o aumento dos preços da energia, como mecanismos de compensação -os descontos são feitos no ISP com base no IVA adicional que o Estado cobra pelo aumento de preços-, e mantém a taxa de carbono congelada até ao final deste ano. A taxa de inflação situou-se em 5,3% em Portugal em março, enquanto os preços dos produtos energéticos foram 19,8% superiores aos do ano anterior.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *