Portugal vira costas ao treinador Fernando Santos

Lisboa, 12 de dezembro (EFE).- O futuro de Fernando Santos está no ar. Os portugueses estão a dar as costas ao seleccionador nacional e, segundo as sondagens, acreditam que este deverá demitir-se após a eliminação de Portugal frente a Marrocos nos quartos-de-final do Mundial do Qatar.

À derrota frente a Marrocos (1-0) junta-se a polémica que acompanhou a equipa em torno da decisão de Cristiano Ronaldo e do Santos de deixar o futebolista no banco até à segunda parte, altura em que a partida parecia fadada ao fracasso.

93,5% dos participantes de uma pesquisa publicada hoje pelo jornal esportivo “A Bola” acreditam que Santos, de 68 anos e no comando das “quinas” desde 2014, não deve continuar como treinador.

Os antigos internacionais portugueses ouvidos por “O Jogo” também defendem a saída de Fernando Santos.

Álvaro Magalhães, tetracampeão português com o Benfica, sustenta que o treinador “tem de terminar o ciclo” porque há “desgaste” na equipa, e coincide com Vítor Paneira, tricampeão português com o mesmo clube, convicto de que é ” é hora de encerrar esse ciclo”.

Rodolfo Reis, várias vezes campeão com o Porto, acredita que o Santos “tem condições de continuar”, mesmo que seja “complicado”. Além disso, tem ‘dúvidas’ sobre a futura relação entre o treinador e Cristiano.

As críticas ao Santos têm aumentado, e não apenas de torcedores ou admiradores de Ronaldo.

O casal de estrelas portuguesas, a modelo espanhola Georgina Rodríguez, criticou a decisão do treinador por “subestimar o melhor jogador do mundo”.

“Hoje seu amigo e treinador decidiu mal. Esse amigo para quem você tem tantas palavras de admiração e respeito. O mesmo que, quando você entrou no jogo, viu como tudo mudou, mas chegou tarde demais”, postou Georgina em um comunicado. Postagem no Instagram ao lado de uma imagem de Cristiano após a derrota.

Santos foi mesmo questionado pelo embaixador de Portugal no Japão, Vítor Sereno, que foi às redes acusar o treinador de ‘agarrar-se ao cargo e não o disponibilizar de imediato’.

O treinador “vai sair de baixo, refém da sua incapacidade táctica, do seu medo, da sua incoerência, mas sobretudo da sua pequenez”, escreveu o embaixador português no seu perfil do Linkedin.

Após a eliminação de Portugal, Santos foi o assunto mais comentado na rede social Twitter do país, onde muitos internautas o culparam pelo resultado.

Apesar de ganhar a Eurocopa 2016, o primeiro grande troféu de Portugal e a Liga das Nações em 2019, Fernando Santos é um menudo criticado no país por seu estilo de jogo conservador ya veces muy dependente de las jugadas individuais, sobre todo de Cristiano Ronaldo.

Cristiano foi justamente um dos ‘quebra-cabeças’ do Santos no Catar, principalmente depois que o capitão mostrou seu desagrado por ter sido substituído em uma partida da fase de grupos.

Nas partidas seguintes, o Santos não colocou Ronaldo como titular por “uma opção estratégica”, justificou.

Questionado sobre a possível saída após o encontro com Marrocos, Santos disse que “não está previsto”, mas que vai falar com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para ver “o que é melhor para a equipa”.

(c) Agência EFE

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *