A Conferência Internacional de Línguas Espanhola e Portuguesa discutirá o futuro das duas línguas na cultura, ciência e inovação

No dia 16 de fevereiro acontece a 2ª edição do Congresso Internacional de Línguas Portuguesa e Espanhola (CILPE 2022), que discutirá a situação das duas línguas no mundo atual, bem como novas formas de fortalecer a divulgação dessas línguas nos campos da cultura, ciência e inovação.

Sob os auspícios de Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI)a conferência reunirá autoridades governamentais e especialistas nos idiomas espanhol e português.

850 milhões de pessoas no mundo falam português e/ou espanhol. Segundo dados demográficos das Nações Unidas, juntas as duas línguas somarão 1,2 bilhão de falantes no século atual.

Embora sejam línguas globais e estejam entre as mais faladas no planeta, a OEI detectou um aumento de publicações em inglês por pesquisadores cuja língua materna é o espanhol ou o português. Esta reunião abordará os principais obstáculos para fortalecer a divulgação das duas línguas. O livro será lançado na abertura do evento “Ibero-América: uma comunidade, duas línguas pluricêntricas”que resulta da primeira Conferência, organizada pela OEI em 2019 em Lisboa (Portugal).

O maior evento sobre essas línguas irmãs

A segunda edição do CILPE é organizada pela OEI em colaboração com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, país anfitrião. O encontro conta ainda com o apoio da Comissão Organizadora, composta pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) ou IP Camões e Instituto Cervantes.

O CILPE 2022 tem como lema “Línguas, Cultura, Ciência e Inovação” e desenvolver-se-á em três grandes áreas de trabalho. O primeiro deles – Por uma ciência multilíngue – coordenado por Gilvan Muller Oliveira (UFSC, Brasil), abordará as línguas utilizadas como fonte de produção científica no sistema de ensino superior, e como o português e o espanhol se inserem nesse panorama, bem como os tipos de planejamento recomendados para produção científica em benefício dos povos de língua espanhola e portuguesa.

A segunda linha de trabalho – Linguagens, tecnologias e inovação – coordenado por António Branco, da Universidade de Lisboa – vai debater a questão dos avanços tecnológicos e como as línguas portuguesa e espanhola estão a enfrentar a atual revolução científica e tecnológica.

Com a coordenação do consultor Andrés Gribnicow, da Argentina, o terceiro eixo – Cultura, diversidade e inovação – Tratará da relação entre cultura e desenvolvimento, buscando identificar novos hábitos de criação, produção e participação cultural nos países ibero-americanos.

Em formato híbrido, o CILPE terá participação remota de várias regiões da Ibero-América e será acompanhado pelo público em tempo real graças à retransmissão no Canal do Youtube da OEI Brasil.

A inscrição é gratuita e pode ser feita a partir deste link.

1º dia

Dia 2

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.