Euro 2016, quando Portugal estragou a festa francesa

O futebol não é um esporte onde o mérito desempenha um papel fundamental. Por mais que uma equipe não tenha mérito suficiente para atingir um objetivo, acaba por atingi-lo pelo caráter e outras virtudes. Algo assim aconteceu com os portugueses no Campeonato Europeu do Ano 2016.

Portugal já tinha um precedente no final de campeonato europeuexatamente naquele que haviam organizado em 2004. Chegaram ao duelo decisivo como grandes candidatos e ainda mais em relação ao rival: Grécia. Mas o nervosismo e o medo do palco fizeram a sua parte e os gregos arrebataram o título aos portugueses.

Portugal eu chego no Euro 2016 como uma equipe competitiva, mas sem grandes resultados anteriores, além disso, eles haviam acabado de ser eliminados na primeira rodada da Copa do Mundo de 2014. No papel havia equipas com mais aspirações a serem campeãs mas os portugueses iam lutar. Além disso, tinham a grande figura de Cristiano Ronaldo e outros bons jogadores como Vovô, Nani Aquilo é João Moutinho.

Para o Campeonato da Europa que organizou França em 2016, o formato do campeonato mudou. As 16 equipes anteriores foram eliminadas e se tornaram 24, então os quatro terços melhores se classificariam para as fases eliminatórias.

Os portugueses aderiram ao Grupo F com Hungria, Islândia Sim Áustria, a priori um grupo acessível. Mas não, Portugal não ganhou um único jogo na zona, empatou os três. 1-1 com os islandeses, 0-0 com os austríacos e 3-3 com os húngaros graças a dois golos de Ronaldo.

leia também

Com esses resultados, eles entraram nas oitavas de final pela janela. Mas ali, o nível do futebol começou a subir. Nas oitavas de final, eles venceram Croácia 1 a 0 com gol de Quaresma aos 117 minutos. Nas quartas de final deixaram a Polônia a caminho dos pênaltis, nas semifinais cuidaram galês 2-0 e na final os anfitriões franceses esperavam.

A França dominou toda a final, mas com o passar dos minutos, os portugueses ficaram maiores. Sobre, cristão Ele se machucou e eles foram para a prorrogação. Mas aos 109 minutos, Éder marcou o golo da consagração e, assim, Portugal conquistou o seu único campeonato europeu até à data.

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.