Letras portuguesas, de Rita Barata Silvério






Folha técnica

  • Título original: letras portuguesas
  • Primeira edição: 2022
  • Editorial: Senhor Griffon
  • Obrigatório: Rústico
  • Formato: 17×12cm
  • Páginas: 320

No artigo O fantástico Clube de Portugal Manuel Rivas pergunta-se “Quem era mesmo este outro eu chamado Portugal? Para muitos é apenas um lugar para comprar toalhas, comer bandeja de braçoonde encontrar uma lembrança em forma de Gauleses de Barcelos, pouco mais que um destino de férias. Mas é muito mais.

Portugal é um país com o qual partilhamos uma história, uma cultura ou uma sensibilidade, mas é também um país a que sempre demos as costas. A Espanha vive abraçando-a geograficamente e ignorando-a em quase todos os outros aspectos. o letras portuguesas do Rita Barata Silvério (Estremoz, 1975) modificá-lo.

Do Boletim de Notícias para o livro

Estas cartas começou em junho de 2020 como Boletim de Notícias quinzenal. A intenção era dar a conhecer aos espanhóis a história, a arte, a música, a gastronomia e os costumes dos nossos vizinhos. Uma abordagem repleta de dados interessantes, curiosidades e humor que chega às nossas caixas de correio eletrônicas. Agora é também um livro, editado pelo Sr. Griffin e o primeiro da coleção Por carta.

Barata Silvério fala-nos das idas e vindas (reais e metafóricas) do colonialismo, das fofocas das cortes portuguesas, das guerras, dos amores, das revoluções, dos êxodos e, sobretudo, da importância não negligenciável das mulheres (rainhas, cortesãs, jornalistas, artistas, cozinheiros) ao longo da história portuguesa.






Capa de cartas portuguesas, livro de Rita Barata Silverio

Capa de cartas portuguesas, livro de Rita Barata Silverio em formação

Se, para além de Portugal, há uma protagonista destas cartas, são as mulheres que têm contribuído para moldar a identidade do Retângulo. “Quando eu comecei isso Boletim de Notícias Decidi que a cota de 30% seria para homens”disse durante a apresentação realizada na Embaixada de Portugal em Madrid.

Todos letras portuguesas são escritos de um terno amor por Portugal, com o desejo de que nós, estrangeiros, o conheçamos e nos aproximemos, que façamos de Raya algo que nos una, que vejamos que no fundo somos iguais. É também uma forma, talvez não procurada no início, mas aproveitada, para conhecer e amar melhor o próprio país. É inevitável ler Barata Silvério sem fazer nosso esse amor sincero..

Quem conhece Portugal através destes letras portuguesas vão querer fazer parte deste fantástico Clube de Portugal.

Marciano Brandão

"Defensor apaixonado da internet. Amante de música premiado. Totó de café. Estudioso de mídia social ao longo da vida."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *