Portugal investiga possível abuso sexual na Igreja


euA justiça portuguesa abriu 10 investigações sobre possíveis agressão sexual na Igreja após depoimentos de supostas vítimas coletados por uma comissão independente, informou o ministério público.

Os 17 testemunhos apresentados à acusação por esta comissão levaram à “abertura de 10 inquéritos” dos quais “três foram arquivados” porque os factos estão “prescritos” ou por “falta de provas”, explicou um homem à AFP. .Porta-voz do Ministério Público, sem especificar as datas de abertura dos inquéritos.

A comissão independente, que iniciou o seu trabalho em janeiro, é responsável por investigar as agressões sexuais na Igreja portuguesa. Já coletou 352 depoimentos de supostas vítimas, de acordo com um relatório final no início de julho. Na realidade, “o número de vítimas é mais importante”, porque os depoimentos referem-se muitas vezes a várias vítimas, indicou quinta-feira à noite o psiquiatra infantil Pedro Stretch, que chefia esta comissão.

A IGREJA ESTÁ PRONTA PARA PEDIR PERDÃO POR ABUSO SEXUAL

Dom Manuel Clemente, o mais alto prelado da Igreja portuguesa, disse em abril passado que a Igreja estava disposta a “reconhecer os erros do passado”. Além de “pedir perdão” às vítimas de violência sexual.

No entanto, o Cardeal Patriarca de Lisboa refutou estas últimas acusações, alegando “muitos erros” na “narrativa deste doloroso caso denunciado em 1999”. Ele lembra que o pároco foi expulso de sua igreja.

“Lamento todo o sofrimento que esta situação pode causar a esta vítima em particular, mas também a todas as outras”, sublinhou, pedindo que ninguém tenha “medo de denunciar” estas situações de violência sexual.

O Patriarcado de Lisboa reafirmou na quarta-feira a sua “total disponibilidade” para cooperar com as autoridades. Isso após revelações na mídia de um novo caso em que a Igreja teria optado por manter no cargo um padre suspeito de agressão sexual. O trabalho da comissão portuguesa, que deverá estar concluído até ao final do ano, dará origem a um relatório que será posteriormente transmitido à Conferência Episcopal Portuguesa.

Recentemente, o Tribunal Superior da província de Newfoundland and Labrador, no leste do Canadá, autorizou a venda de 42 propriedades pertencentes à Arquidiocese de Saint John of Newfoundland. Isso para compensar o benefício de uma centena de vítimas de agressão física e sexual no orfanato católico de Mount Cashel.

(Com informações da AFP)

A Newsweek en Español também recomenda estas notas:

Papa Francisco pede perdão histórico por abusos da Igreja contra povos indígenas no Canadá

Em apenas um mês, mais de 40 clínicas dos EUA pararam de realizar abortos: relatório

Eastern State Penitentiary, um dos lugares mais “assombrados” do mundo

Cristiano Cunha

"Fã de comida premiada. Organizador freelance. Ninja de bacon. Desbravador de viagens. Entusiasta de música. Fanático por mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.