La Nación / “Vivemos no país da polada porque o governo está ausente”, diz o candidato a governador

O arquiteto Carlos López, candidato a governador de Caaguazú, disse que voltou à política depois de duas décadas com o objetivo de trabalhar para os cidadãos e conseguir o desenvolvimento do departamento. “Vim me comprometer a tornar Caaguazú grande novamente, estamos esperando seu apoio porque se vim para a política é para dar tudo e trabalhar para as pessoas mais humildes, para as pessoas que realmente precisam”, declarou.

López foi prefeito de Coronel Oviedo e também ministro da Secretaria do Meio Ambiente (Seam), depois se dedicou ao setor privado e após 21 anos de afastamento do cenário político, voltou e afirmou que trabalharia muito para alcançar grandes mudanças em Caaguazú, departamento que, segundo as estatísticas, é um dos mais pobres do Paraguai e um lugar onde os cidadãos reclamam da politização dos subsídios estatais.

“Vivemos no país da polada porque o estado está ausente, o governo está ausente e esse mesmo governo volta a ser candidato, porém, estamos trabalhando para ter um departamento e um país melhor”, disse o pré-candidato a governador. em ato político desenvolvido em Caaguazú, do qual participaram os chefes de departamentos, bem como os pré-candidatos ao Congresso, entre eles o senador Silvio “Beto” Ovelar.

Leia também: Destacam a importância da reunião do mecanismo de consulta política com sede em Assunção

Mais de 1.000 pessoas participaram do evento político em Caaguazú, que contou com a presença de Santiago Peña e do senador Silvio “Beto” Ovelar. Foto: Christian Méza.

“É hora das pessoas terem um trabalho decente, é hora dos paraguaios encontrarem dinheiro no bolso através do trabalho. A geração de empregos será um dos principais pontos do governo de Santiago Peña, além de ajudar o produtor, seja grande ou pequeno, trabalharemos com todos e para todos”, disse Lopez.

Mais de 1.000 pessoas assistiram ao ato político, fato que superou as expectativas, pois estimava-se que o evento reuniria cerca de 500 pessoas. “Viemos trabalhar com você, há 21 anos corri pela última vez e hoje estou de volta com Santiago Peña e é uma honra para mim e também é uma honra para mim. cerque-se de tantas pessoas bonitas e trabalhadoras, ” ele disse.

Lembrou que Peña lhe pediu há um ano que voltasse à política porque acreditava em si mesmo, indicou que após um diálogo com sua família decidiu se candidatar novamente a um cargo eletivo por considerar que tinha as condições adequadas para assumir responsabilidades. “Acho que temos condições de chegar e vencer, de ter um governo bom, transparente, honesto e patriótico porque é isso que precisamos dos dirigentes e é isso que o povo nos pede. A política perdeu credibilidade mas com esta equipa estão a recuperar e é a confiança que nos volta”, sublinhou.

Acrescentou que a menos de dois meses das eleições internas, os candidatos a Honra Colorado têm grande vantagem e está convencido de que uma grande vitória será dada ao movimento em Caaguazú. “Ganhamos a confiança das pessoas com Santiago Peña, as pessoas confiam nele porque é uma pessoa honesta, um homem que sabe o que fazer, não podemos mais improvisar, esta é a esperança do povo”, assegurou.

Pode lhe interessar: Euclides Acevedo estabeleceu seu comando único em Caaguazú

Francisco Araújo

"Nerd de álcool. Leitor. Especialista em música. Estudante típico. Jogador irritantemente humilde. Especialista em zumbis. Solucionador de problemas sutilmente encantador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *